Seleção da semana

VIAJO PORQUE PRECISO, VOLTO PORQUE TE AMO

, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2010 | 00h00

Direção: Marcelo Gomes e Karim Aïnouz. Gênero: Drama (Brasil/ 2009, 75 minutos).

IMAGENS EXISTENCIAIS

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo - isso é lá título de filme que se leve a sério? Resposta: é sim. Talvez um dos melhores do ano, já se pode arriscar. O título, que chamaríamos preconceituosamente de brega, vem de uma inscrição que o narrador lê em algum lugar em seu percurso por estradas do Nordeste.

Iremos descobrindo, aos poucos, por que motivo esse narrador (Irandhir Santos, do qual apenas se ouve a voz) botou o pé na estrada, e também por que adotou como divisa essa inscrição, que parece saída de um para-choques de caminhão. As imagens que encontra pelo caminho são belíssimas. Foram filmadas em diversas ocasiões, quando os codiretores Karim Aïnouz e Marcelo Gomes pesquisavam a região em busca de locações para outros filmes. Há, assim, um tom melancólico de inacabado nessas imagens perdidas, agora reunidas e remontadas para se tornar ficção.

Algumas soluções encontradas são geniais. Por exemplo, as imagens da montagem do mercado de Caruaru, que começa à noite e avança pela madrugada, num grafismo que corresponde muito bem ao momento psicológico descrito pelo narrador, que é da tentativa de se reconstruir após sofrer um trauma amoroso. Sim, porque o desenho que o filme vai formando é o de uma consciência tentando se reencontrar depois de perder suas referências. O filme é a montagem desse quebra-cabeça existencial usando as peças de antigos fragmentos documentais. Uma grande sacada, que mostra uma das vertentes do cinema, a de que imagens, uma vez captadas, podem ter sobrevida em outros contextos, gerando novos significados.

Essa montagem que não se dá no vazio, mas na imersão generosa naquilo que se convencionou chamar de "Brasil profundo". Quer dizer, o Brasil dos grotões, das zonas pobres, das estradas poeirentas, das populações isoladas. Depois, o Brasil dos romeiros de Padre Cícero em Juazeiro, das feiras, dos motéis de beira de estrada, dos botecos miseráveis e hotéis precários. É filme do drama individual imerso no drama coletivo. / LUIZ ZANIN ORICCHIO

CÉU, THALMA DE FREITAS E ANELIS ASSUMPÇÃO Quando: Sexta (7) e sábado (8), 21h. Domingo (9), 18h Onde: Sesc Vila Mariana, R. Pelotas, 141, tel. 5080-3000 Quanto: R$ 30 e R$ 15 (meia)

VOZES FLUTUANTES

Algumas combinações de vozes têm o poder de criar uma atmosfera inebriante. É o que acontece quando se juntam Céu (foto), Thalma de Freitas e Anelis Assumpção. No próximo fim de semana (7, 8 e 9), em apresentação rara, elas sobem ao palco do Sesc Vila Mariana formando o trio Negresco Sis. Nos shows, elas cantam separadas composições de suas carreiras-solo e, juntas, temas como Bubuia (gravada no disco Vagarosa, de Céu) e Rainha, também de Céu, recém-chegada do festival Coachella, nos EUA. / LUCAS NOBILE

JULIANO GAUCHE E DUO ZEBEDEU

Quando. Hoje, às 18 horas. Onde: Centro Cultural São Paulo, Rua Vergueiro, 1000, Metrô Vergueiro. tel. 3307-4002. Quanto: R$ 10.

BENDITO MALDITO

Um dos grandes compositores brasileiros, Sérgio Sampaio (1947-1994) é revisitado por Juliano Gauche e o Duo Zebedeu, de Vitória (ES). Após gravar composições-chave do autor no CD Hoje Não, trazem o show ao CCSP esta noite. / JOTABÊ MEDEIROS

LUÍS CARDOSO

Quando: Amanhã e terça. Onde: Faculdade de Filosofia/USP (amanhã) e Livraria da Vila, Rua Fradique Coutinho, 915 (terça). Quanto: Grátis

PAPO DO TIMOR LESTE

A editora Língua Geral assumiu a missão de divulgar a literatura em português produzida em outros países. Tal iniciativa permite conhecer, por exemplo, a interessante prosa de Luís Cardoso, do Timor Leste. Amanhã, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (14 h), e terça-feira, na Livraria da Vila da Fradique Coutinho (18h30), ele faz palestra sobre Réquiem Para o Navegador Solitário, romance em que mostra as dificuldades enfrentadas por sua nação e também a trajetória de uma menina em busca de uma história de amor. / UBIRATAN BRASIL

PAPER MACBETH

Quando: 5ª, 21h30. 6ª e sáb., 21h. Dom.,19h. Onde: Cultura Inglesa. R. Deputado Lacerda Franco, 333, tel. 5576-7600. Quanto: livro novo ou usado

MACBETH ANIMADO

Bonecos de papel, teatro de sombras e objetos animados são linguagens usada na versão intitulada Paper Macbeth do clássico de Shakespeare. Esse espetáculo abre na quinta a programação teatral do 14.º Cultura Inglesa Festival. / BETH NÉSPOLI

EDOUARD FRAIPONT - CULTURA INGLESA

Quando: 5/5 a 11/6; 2ª a 6ª, 10h/19 h; sáb., dom., 10h/16 h Onde: Centro Brasileiro Britânico. R. Ferreira de Araújo, 741, 3095-4466 Quanto: Grátis

TRIBUTO A BACON

Ainda como parte do 14.º Cultura Inglesa Festival, o fotógrafo Edouard Fraipont exibe série de fotografias em que recria o universo das figuras distorcidas e solitárias das pinturas - às vezes em trípticos - de Francis Bacon (1909-1992). / CAMILA MOLINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.