Seleção da Semana

Seleção da Semana

FESTIVAL É TUDO VERDADE

, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2010 | 00h00

Espaço Unibanco. Rua Augusta, 1.475, 3288.6780. Abertura quinta, às 20h30

REDESCOBRIR CAVALIER

Principal vitrine da produção de documentários no País, o Festival Internacional É Tudo Verdade inicia na quinta-feira, para convidados, sua 15.ª edição em São Paulo. No dia seguinte, será a vez dos cariocas e até o fim de semana seguinte, dia 18, será possível se atualizar, no Rio e em São Paulo, com as novas tendências do documentário brasileiro e mundial.

Há uma quantidade expressiva de novos diretores estreando no documentário no Brasil e o É Tudo Verdade é o canal certo para que eles digam - ou mostrem - a que vêm. Você também poderá descobrir os vencedores de Amsterdã, Cinema du Réel, Berlim e Leipzig, entre outros grandes eventos, e até um finalista para o Oscar da categoria.

Tudo isso é muito rico, mas duas retrospectivas se antecipam como particularmente interessantes. Uma recupera a obra documentária de Benedito J. Duarte, que foi crítico importante em São Paulo, e a outra, a retrospectiva internacional, é dedicada a um francês "quase" octogenário. Aos 79 anos, Alain Cavalier não virá ao Brasil justamente porque está em pleno processo de filmagem de seu novo documentário.

Quem viu Irène na Mostra do ano passado tem uma ideia do método, ou estilo, Cavalier. Irène é Irène Tunc, ex-miss França com quem Cavalier foi casado e que morreu num acidente de carro. A partir da descoberta do diário da ex-mulher, o cineasta se lança numa jornada íntima, viajando ao próprio passado. Cavalier compõe um "caso". Começou na ficção, provocando polêmica com a Guerra da Argélia que mostrou em Terei o Direito de Matar?, com Alain Delon, em 1964. O fracasso de público e crítica de A Chamada do Amor, com Catherine

Deneuve, adaptado de Françoise Sagan, levou-o a romper com o cinema comercial.

Surgiu um outro Cavalier, autor de ficções nos limites do experimentalismo (Thérèse, que foi premiado em Cannes, em 1986). O restante de sua obra segue experimental, mas na forma de documentário. É um autor que vale descobrir, com certeza. / LUIZ CARLOS MERTEN

PITANGA EM PÉ DE AMORA

Quando: Terça-feira, às 21 horas, dentro do projeto Prata da Casa. Onde: Choperia do Sesc Pompeia, Rua Clélia, 93, tel. 3871-7700. Quanto: grátis

JOVENS FRUTÍFEROS

Angelo Ursini, Daniel Altman e Ga Setúbal assinam as composições e tocam vários instrumentos. As letras são de Diego Casas, que também divide os vocais com Flora Popovic. Eles formam o Pitanga em Pé de Amora, grupo de jovens talentosos, que tem repercutido no circuito da boa música paulistana. Na terça eles são atração do projeto Prata da Casa, no Sesc Pompeia. O show terá participações de Lulinha Alencar (acordeom) e Ronen Altman (bandolim), da Orquestra Popular de Câmara. Vale conferir. / LAURO LISBOA GARCIA

AFRIKA BAMBAATAA

Quando: quinta-feira, às 23h59. Onde: Studio SP (450 lug.). Rua Augusta, 591, Consolação. telefone: 3129- 7040. Quanto: R$ 50

AFRIKA BÃBÃBATAA

Afrika Bambaataa está na base do hip-hop. Afrika Bambaataa está na base do Miami bass. Afrika Bambaataa está na base do funk carioca. Na quinta, 8, o bãbãbã baixa no Studio SP, na Rua Augusta. É o originador. Chance única. / JOTABÊ MEDEIROS

SEMPRE UM PAPO - SÉRGIO SANT"ANNA

Quando: quarta-feira, às 20 horas. Onde: Sesc Vila Mariana, Rua Pelotas 141, Vila Mariana,

telefone: 5080-3000. Quanto: grátis

FICÇÃO E REALIDADE

Um dos melhores escritores brasileiros contemporâneos, Sérgio Sant"Anna é o novo convidado do projeto Sempre Um Papo, que ocorre quarta-feira, no Sesc Vila Mariana. Ele pretende desenvolver um paralelo entre ficção longa (romance), média (novela) e curta (conto), enfatizando a narrativa curta praticada no Brasil. Um dos melhores momentos da ficção de Sant"Anna é quando une realidade e ficção, como comprova o livro de contos O Voo da Madrugada, em que utiliza fatos da memória pessoal e da família. / UBIRATAN BRASIL

PORTINARI NA COLEÇÃO CASTRO MAYA

Onde: Pinacoteca, Praça da Luz, 2, tel. 3324-1000.

Quando: 3ª a domingo, 10h/18h. De 10/4 a 6/6. Quanto: R$ 6 (grátis aos sábados)

QUADROS DE AMIZADE

São cerca de 60 obras, justamente as que evidenciam a amizade do pintor Cândido Portinari com o mecenas e colecionador de obras de arte Raymundo Ottoni de Castro Maya. A abertura acontece no sábado, na Pinacoteca. / CAMILA MOLINA

A DANÇA FINAL

Direção: Noemi Marinho. Onde: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brig. Luis Antônio, 931, 3105-3129. Quando: 6ª e sáb., 21h30, dom., 20h. Quanto: R$ 40/ 60

CLASSE MÉDIA

Rara na dramaturgia de Plínio Marcos, a peça A Dança Final retrata um casal de classe média. Menezes e Lisa ganham vida na interpretação dos talentosos Denise Weinberg e Norival Rizzo, sob direção de Noemi Marinho. / BETH NÉSPOLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.