Lu Prezia
Lu Prezia

'See-now-buy-now veio só para bagunçar a vida', diz Nelson Alvarenga, da Ellus

Empresário do grupo InBrands e fundador da marca de jeanswear avalia situação da moda hoje

Sergio Amaral, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2018 | 11h05

“O see-now-buy-now [ou veja-agora-compre-agora, formato em que as roupas mostradas nas passarela são colocadas à venda logo após o fim da apresentação] não funciona para a Ellus. Isso é uma onda que veio só para bagunçar a vida”, diz Nelson Alvarenga, fundador da marca e presidente do conselho do grupo InBrands, que tem em seu portfólio Richards, VR, Salinas e BobStore, além da Luminosidade, detentora das marcas SPFW e Fashion Rio.

No almoço em que anunciou a aquisição de parte da empresa pela IMM Esporte e Entretenimento, Nelson lamentou a situação em que o País se encontra. “A gente anda tão amargurado com essa história de Brasil... Machucou quase todo mundo e machucou pesado, mas felizmente estamos vivos”, pondera.

Para ele, a queda do PIB foi gigantesca e a moda é um dos setores que continua penando. Menciona as bruscas mudanças de tecnologia no mundo inteiro, mas aponta a responsabilidade das políticas governamentais. “Ficamos nesses vais e vens em função dessa instabilidade [econômica e política]. Não temos segurança. A gente fica atrofiado e perdendo muito tempo em função desses problemas conjunturais”, afirma. “Mas mesmo com uma recuperação muito lenta, acreditamos otimisticamente que estamos no início de uma nova rampa de progresso e desenvolvimento”, prevê.

“Tudo é cíclico. Não existe felicidade ou desgraça que seja perene. Essa crise foi mais uma e acreditamos que vamos ter um novo ciclo liberal, proativo, de progresso e empreendedorismo. Queremos tirar proveito disso para curar nossas feridas, nossas dores”, conclui o empresário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.