Secretário tenta manter em SP acervo histórico da Santos-Jundiaí

A Secretaria de Recuperação de Bens Culturais, ligada ao gabinete do governador de São Paulo, Mário Covas, pretende evitar a transferência do acervo de documentos da antiga ferrovia São Paulo Railway Company, conhecida como Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (EFSJ), para o Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro. A remessa é determinada por lei em decorrência da liquidação da Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), incorporadora da companhia. Segundo o secretário Emanuel Von Lauenstein Massarani, o plano é transferir a documentação histórica para o Centro da Memória Ferroviária, em Jundiaí, a 60 quilômetros de São Paulo. As instalações que abrigarão o centro serão restauradas com recursos obtidos através da Lei Rouanet de incentivo à cultura. "O projeto foi aprovado e já temos cinco toneladas de documentos para catalogar."Massarani enviou ofícios aos liquidantes da Rede, detentores do patrimônio da Santos-Jundiaí, e à gerência da Malha Paulista, que administra o espólio da extinta Fepasa, para obter a cessão da documentação remanescente das ferrovias paulistas. "Estamos esperando uma resposta." Se necessário, ele fará contato com a administração do Arquivo Nacional.Segundo o secretário, o plano tem o apoio da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Ele reclamou de não terem sido excluídos do processo de privatização da Malha Paulista bens de interesse histórico e cultural, como documentos locomotivas e prédios de valor arquitetônico. Entre os edifícios, destacou as estações de Sorocaba, Campinas, Araraquara, Santos, Bauru e Ribeirão Preto."Levianamente, ao contrário da nossa orientação, esse patrimônio acabou entrando no processo e não há garantias de sua preservação." A privatização impediu que a Secretaria levasse adiante projetos de restauração das estações de Guaratinguetá e Cachoeira Paulista, no Vale do Paraíba. As estações paulistanas da Luz e Júlio Prestes, excluídas do processo, foram restauradas e transformadas em referência internacional, segundo ele.Massarani visitou o Museu Ferroviário da Sorocabana e anunciou a instalação de um centro de estudos e de cultura ferroviária em Sorocaba, em prédio a ser restaurado pela Secretaria. Massarani defendeu a cessão, pela Malha Paulista, da estação local para a comunidade. O prédio deve ir a leilão no próximo ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.