Sebrae lança Programa Empreendedor Cultural

O mercado cultural paulista é considerado o maior investidor em projetos culturais do País, captando 44% de todos os recursos disponibilizados pela Lei Rouanet. Apostando em empreendimentos no setor e também no trabalho de revitalização do Centro Antigo de São Paulo, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, estão desenvolvendo o Programa Empreendedor Cultural.Segundo o empresário de cultura Fernando Portela, responsável pela implantação do programa em São Paulo, a idéia é estimular ações e desenvolver uma visão empreendedora no mercado cultural paulista, a partir da criação de redes de agentes que atuem nos mais diversos setores da cultura. "Pretendemos conscientizar potenciais investidores e patrocinadores quanto as vantagens do "marketing cultural" e dos incentivos fiscais à cultura, através de cursos e palestras. Também iremos orientar projetos culturais geradores de renda para o mercado paulista e estimular a abertura de novos espaços para a apresentação e comercialização de eventos e produtos", disse.Portela atua há 15 anos no mercado cultural brasileiro e foi o responsável pela implantação do programa em outros dez Estados, sendo que o Rio de Janeiro inaugurou a iniciativa. "A base do trabalho é levantar os problemas que impedem o desenvolvimento da cultura na cidade e o fundamental é investir na identidade regional. Após isso, fazemos reuniões semanais com as lideranças, passando desde noções de marketing cultural, como administração pessoal", destacou.Em São Paulo, a falta de capacitação empresarial dos agentes culturais foi o principal problema identificado durante os estudos feitos pela equipe de Portela. Mas o empresário está confiante quanto ao lançamento oficial do programa, previsto para o dia 19 de outubro, e o início das ações. "Eu acho que esse será um dos melhores programas a serem desenvolvidos porque São Paulo é o centro cultural do País, é um centro investidor da cultura. Isso vai dar um poder de irradiação imenso para outros Estados, tanto é que já fomos procurados para iniciar o programa em Minas Gerais".O superintendente do Sebrae-SP, Fernando Leça, destacou que a cultura e o entretenimento são atualmente geradores de empregos e de renda em grande escala. Porém, segundo Leça, ainda há profissionais do setor que desconhecem a legislação e as iniciativas de incentivo a cultura existentes no Estado."Nosso trabalho no programa será agregar o conhecimento na parte de gestão, no setor administrativo. Para isso realizaremos cursos de marketing cultural, incluindo o conhecimento da legislação que permite captar recursos com o incentivo da lei Rouanet", explicou o superintendente." São ações como essa que iremos deflagrar para agregar alguma atividade cultural sob o prisma de geração de negócios e renda em eventos".Leça disse ainda, que a partir do programa empreendedor cultural, o Sebrae atuará como parceiro da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo no processo de revitalização do centro antigo da cidade. Entre as primeiras iniciativas desse projeto está a criação da Rua do Choro, situada na rua General Osório, no centro da cidade, prevista para o dia 7 de outubro. "A idéia é estimular os empreendimento na região, a partir de reuniões musicais aos sábados pela manhã, já que no local há uma grande concentração de lojas de instrumentos musicais. A criação desse hábito tem a ver com o propósito de induzir o desenvolvimento de uma atividade comercial ligada à vocação artística".

Agencia Estado,

15 de setembro de 2000 | 21h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.