Henry Nicholls/REUTERS
Henry Nicholls/REUTERS

Scorsese quer enriquecer trabalho com Robert De Niro com 'O Irlandês'

Baseado no livro 'I Heard You Paint Houses', filme trata de uma família do crime organizado da Pensilvânia e conta com os vencedores do Oscar De Niro, Al Pacino e Joe Pesci; veja o trailer

Marie-Louise Gumuchian, Reuters

14 de outubro de 2019 | 17h35

O diretor e produtor Martin Scorsese se reencontrou com Robert De Niro em O Irlandês, um filme de máfia de três horas e meia que o diretor aclamado disse ter decidido fazer com seu colaborador frequente para levar adiante o trabalho anterior da dupla, e não repeti-lo.

Transcorrendo ao longo de várias décadas, O Irlandês trata de uma família do crime organizado do Estado norte-americano da Pensilvânia e tem os vencedores do Oscar De Niro, Al Pacino e Joe Pesci nos papéis principais.

O filme da Netflix, que encerra o Festival de Cinema de Londres no domingo, 20, usa uma tecnologia de rejuvenescimento digital para mostrar os personagens com cerca de 30 e 40 anos de idade – De Niro, Pesci e Pacino estão em torno dos 70 anos. “Eu realmente estava em busca de algo com Bob (De Niro) para enriquecer o que fizemos nos anos 1970 e 1980 e no início dos 1990”, disse Scorsese em uma coletiva de imprensa.  “Só repetir o que estávamos tentando fazer no início de nossas carreiras não seria enriquecedor de maneira nenhuma.”

Obra será exibida no cinema antes do lançamento na Netflix

O filme começa com o narrador idoso Frank Sheeran, interpretado por De Niro, contando sua vida. Na história contada em flashbacks, o público o vê como soldado, caminhoneiro e enfim assassino a soldo da máfia depois de conhecer o chefe do crime organizado Russell Bufalino, vivido por Pesci.

O enredo, baseado no livro I Heard You Paint Houses, de Charles Brandt, tem ligação com o desaparecimento do líder sindical norte-americano Jimmy Hoffa, encarnado por Pacino em sua primeira colaboração com Scorsese. “Eu conheço Marty e Bob há muito tempo, então quando Bob me ligou, pareceu muito interessante, e a oportunidade de trabalhar com eles era muito importante para mim”, disse Pacino. “Durante anos nós quase trabalhamos juntos, Marty e eu.”

A produção, que recebeu resenhas entusiasmadas de críticos que o veem como concorrente aos Oscar, será exibida nos cinemas por pouco tempo antes e depois de seu lançamento de 27 de novembro na Netflix. “A concepção original do que um filme é e onde deve ser visto mudou radicalmente agora”, opinou Scorsese.

Durante uma conversa no festival ocorrida na sexta-feira, De Niro disse que “gosta de filmes, gosto do fato de que... eles duram para sempre”, acrescentando que espera ser lembrado “favoravelmente”. / REUTERS 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.