SBT tira mais um da Band

Depois de Carlos Nascimento, quem faz o percurso Morumbi-Anhangüera agora é o diretor de teledramaturgia Herval Rossano. Com tanto artista desempregado por aí, parece ter sido bem a falta de atores um dos motivos que motivaram a troca da Band pelo SBT. Na quinta-feira, Herval comunicou sua saída da Band diante de uma proposta que recebeu de Silvio Santos por meio de um telefonema em sua casa, na noite anterior. Rossano, que havia trocado a Record pela Band em 2005, vinha, havia meses, tentando engrenar o setor de dramaturgia da emissora do Morumbi, em vão. Um dos maiores problemas do diretor seria a escalação de elenco para Amor de Perdição, novela inspirada na obra de Camilo Castelo Branco, que a Band quer produzir com a portuguesa NBP. Desde a contratação de Herval, a produção vem sendo adiada, o que teria irritado o diretor. A alegação é que, com o crescimento das novelas da Record, as investidas do SBT no setor e a luta da Globo para manter seu cast, está difícil de a Band contratar um elenco para a novela. No fim do ano passado, Herval teve seu primeiro desentendimento na Band com a suspensão da produção de especiais de fim de ano, que seriam comandados por ele. O argumento foi: contenção de despesa. Como o contrato dele com a Band não havia chegado ao fim, há multa a ser paga. No SBT, a contratação pegou muita gente de surpresa. O diretor, que ontem visitou a emissora, assumiu o posto de Davi Grinberg, que será deslocado para outro cargo. As conversas de Silvio Santos com o diretor teriam se iniciado em 2005, quando o SBT comprou os direitos do livro que deu origem à novela Dona Beija, dirigida por Herval na extinta Manchete. Uma das idéias de SS é fazer um remake da trama no SBT.

Agencia Estado,

21 de fevereiro de 2006 | 12h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.