SBT pode processar TV portuguesa

O feitiço virou contra o feiticeiro. A agência de publicidade do SBT, a Calia Assumpção, pode processar a emissora portuguesa TVI por plágio. O motivo da confusão é o slogan que a agência criou para o SBT há quase dois anos, o "Na nossa frente, só você".A TVI, uma espécie de SBT de Portugal que vive em pé de guerra com a emissora SIC, a Globo de lá, resolveu usar um slogan idêntico ao da emissora de Silvio Santos para comemorar as consecutivas vitórias em cima da concorrente. O slogan "À nossa frente só você" começou a ser usado pela TVI há cerca de um ano, nos intervalos do Big Brother, maior sucesso da rede.Preocupados com um possível processo, representantes da TVI procuraram a Calia Assumpção na semana passada, visando a explicar que o slogan semelhante foi uma mera coincidência, e tentando chegar a um acordo amigável.Segundo a assessoria da agência, a direção ainda não decidiu se irá ou não processar a TV portuguesa. A agência não sabia da "coincidência" até então, e foi pega de surpresa pela possibilidade de ter uma campanha sua plagiada.Alfinetada - Enquanto analisa o caso, a Calia e o SBT já preparam a nova alfinetada na Globo. A agência vai lançar, nos próximos dias, a nova peça publicitária do programa "Casa dos Artistas".O anúncio traz o buraco da fechadura vermelho, que é marca registrada do programa, com o slogan "É mais gostoso ganhar de quem não sabe perder", referindo-se às consecutivas vitórias do reality show em cima da Globo, e do processo movido pela emissora dos Marinhos contra o SBT.Na semana passada, a emissora já tinha lançado um anúncio provocando a concorrente. A peça publicitária trazia o título: "Derrota do Fantástico: mais uma atração que só Silvio Santos apresenta."Ao que tudo indica, mais anúncios provocativos vêm por aí. A emissora quer capitalizar o máximo possível em cima da polêmica e da boa audiência do programa. Casa dos Artistas vai ao ar até 16 de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.