Saúde de Verissimo é estável, mas escritor ainda precisa de hemodiálise

Segundo boletim médico, ainda não há previsão de alta; ele foi internado no último dia 21

Lucas Azevedo, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2012 | 14h38

PORTO ALEGRE - O escritor Luis Fernando Verissimo, de 76 anos, apresenta quadro de saúde estável, porém ainda precisa de sessões de hemodiálise frequentes. Conforme o último boletim médico, divulgado no final da manhã deste domingo, o escritor permanece sob monitoramento no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), onde está internado desde o dia 21, sem previsão de alta.

Verissimo foi internado no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, depois de se sentir mal após uma viagem por Minas Gerais e Rio de Janeiro. Ele se queixou de sintomas de gripe, o mesmo que seus companheiros de viagem, como sua mulher, Lúcia, o escritor Zuenir Ventura e o cartunista Chico Caruso. Entretanto, ao invés de apresentar melhoras, como os demais, o escritor gaúcho piorou.

No dia 24, a equipe que atende Verissimo, chefiada pelos médicos Alberto Augusto Rosa, Sandro Cadaval e Eubrando Silvestre Oliveira, identificou que o escritor era vítima do vírus Influenza A, a gripe comum. Pelo fato de ser hipertenso e diabético, seu quadro de saúde se agravou, fazendo com que ele fosse imediatamente internado, para ser sedado e auxiliado por aparelhos.

Na semana passada, a infecção que acometia o escritor foi controlada. Desde então, Verissimo permanece sob cuidados, principalmente no que diz respeito às suas funções renais. Entretanto, ele está lúcido, vê televisão, fala com familiares e faz fisioterapia.

Além de escritor, Verissimo também é jornalista, cartunista, roteirista de televisão, autor de teatro e tradutor. Entre suas obras mais famosas estão "O Analista de Bagé", "Comédias da Vida Privada", "As Cobras" e "A Velhinha de Taubaté". Seu pai, Erico Veríssimo, é um dos principais autores brasileiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.