Saramago presta homenagem a Francisco Ayala

Para o escritor português José Saramago, o único motivo pelo qual o espanhol Francisco Ayala não recebeu um prêmio Nobel de Literatura é porque viveu muitos anos fora da Espanha e o conhecimento de sua obra não foi suficientemente difundido.Saramago ofereceu uma roda de imprensa em Granada, onde assiste aos atos de comemoração do centenário de Francisco Ayala e onde receberá o reconhecimento como Filho Adotivo da província. No mesmo ato, Ayala receberá o título de Filho Predileto e o chefe do governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero estará presente."Francisco Ayala merece um Nobel", manifestou Saramago, que considerou a lógica da Academia sueca como algo que às vezes é bem entendido e outras vezes não. Para o autor português: "O importante é que Francisco Ayala vai completar 100 anos e ainda está aqui, e quem sabe, se completar 101, 102, ou 110, possam lhe dar um Nobel".Ayala se mostrou emocionado pelo reconhecimento da cidade em que ele nasceu, em 16 de março de 1906 e evocou as lembranças inesquecíveis de seus primeiros anos: "Na infância recolhemos as impressões indeléveis para toda a vida, ainda que a vida não seja tão longa como a minha, contudo, depois de cem anos, as lembranças dos episódios vividos em Granada são completamente vivas".Saramago também mostrou seu agradecimento pelo reconhecimento e confessou que no começo se perguntou o motivo de o nomearem filho adotivo de Granada, e depois de refletir admitiu ter encontrado três motivos. O primeiro é sua mulher, a jornalista espanhola Pilar del Río, que passou grandes períodos de sua vida em Granada, o segundo que há um Centro Cultural que leva seu nome e o terceiroque é doutor honoris causa por la Universidad de Granada.

Agencia Estado,

03 de fevereiro de 2006 | 11h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.