Sarah Palin vira alvo de críticas de atriz de Hollywood

Grupo ecológico do qual Ashley Judd faz parte chegou a criar um site chamado 'Eye on Palin'

AP

07 de fevereiro de 2009 | 22h51

Sarah Palin, que foi vice da chapa presidencial republicana no ano passado, voltou para o Alasca e achou que teria sua vida pacata de volta como governadora do Estado mais isolado dos EUA. Mas, antes que pudesse lançar um livro de memórias para manter seu nome na mídia e tentar uma nova entrada na cena política nacional, Ashley Judd, estrela de Hollywood, resolveu pegar no pé da companheira de John McCain. A atriz iniciou uma cruzada contra algumas políticas ambientais de Sarah, especialmente contra a caça aérea de lobos adultos. Sob o argumento de tentar preservar a população de alces no Alasca, Sarah não só assinou uma lei permitindo a matança, como prometeu US$ 150 para cada lobo morto. "Estou indignada com Sarah por promover uma prática tão cruel e sem sentido", disse Ashley em vídeo divulgado no YouTube pelo grupo Defenders of Wildlife, que criou o site Eye On Palin ("De olho em Palin"). "É hora de fazer a governadora parar com esse massacre." No vídeo, Ashley pede doações para o grupo de ambientalistas, o que irritou a governadora do Alasca. Em entrevista a um jornal local, ela chamou os ecologistas de "extremistas" e disse que eles estão "distorcendo a verdade", iniciando um bate-boca com a atriz por meio da imprensa. Segundo a Defenders of Wildlife, desde que o programa foi aprovado, mais de 800 lobos foram mortos. Shawn Haskell, biólogo especialista em alces de um dos mais importantes institutos americanos, disse que a ideia de Sarah não faz sentido. "Se a intenção é proteger os alces, seria mais eficaz matar os ursos, e não os lobos."

Tudo o que sabemos sobre:
Sarah PalinAshley Judd

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.