São Paulo vê erotismo e ternura de Égüez

A Embaixada do Equador e a Fundação Memorial da América Latina apresentam, a partir de hoje, a mostra Égüez - Exposição Antológica, uma seleção de obras de várias fases do artista plástico equatoriano Gustavo Pavel Égüez. Essa é também uma síntese das exposições realizadas no ano passado no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e no Teatro Nacional Cláudio Santoro, em Brasília.O artista, nascido em Quito em 1959, passou por diversas técnicas e materiais até chegar a um universo onírico em que a temática geral é um erotismo poético revestido de ternura. Outra vertente forte de seu trabalho são os murais que exibe em espaços públicos. Ele utiliza um pluralismo de meios para compor seus murais espalhados pela América Latina. Murais metade mosaicos, metade concreto. Murais fragmentados. Murais de madeira. "Parto da idéia de que a arte deve ser coletiva. Desse modo, gosto de trabalhar com os dois lados: a arte pública, que é sobre as preocupações externas, sociais; e a arte do cavalete, que é dos sentimentos interiores, com preocupações mais plásticas", explica Égüez.Égüez - Exposição Antológica - De terça a domingo, das 10 às 18 horas. Memorial da América Latina - Galeria Marta Traba. Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, tel. 3823-9611. Até12/3.Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.