Filipe Araújo/ AE
Filipe Araújo/ AE

São Paulo tem milk shakes de todos os tipos; conheça os melhores

É uma bebida? É uma sobremesa? A cidade tem tantas opções que é difícil chegar a um consenso

Guilherme Conte e Fernanda Araújo - O Estado de S. Paulo ,

13 de janeiro de 2012 | 10h45

Reduzimos as regras à essência: milk shake é sorvete batido com leite. Pronto! Os puristas podem bradar e exigir a calda ao redor do copo cônico, a colher bailarina e o dogma tríplice dos sabores (baunilha, chocolate e morango).

 

O Divirta-se aceitou as regras, mas depois de experimentar litros e litros de leite batido com sorvetes dos mais variados sabores e apresentados em ‘n’ formas, preferimos a democracia do creme gelado, sorvido pelo canudo até gelar a cabeça e os dentes. Mesmo que o responsável por isso seja o sabor de pistache ou de chiclete (!) - feito com sorvete de creme e xarope de maçã verde. Mas não deixamos os clássicos de lado. A seguir você encontrará onde tomar os bons shakes da santíssima trindade, mas também escolher entre as novidades. O que importa é ser doce. 

 

MAIS DO MESMO

As lanchonetes da cidade guardam uma reserva de shakes que mantêm viva a tradição, sem se lançar em invenções. Aqui, o que se quer é o de sempre.

New's

Ao sorver o cremosíssimo milk shake de chocolate (R$ 21,70, 600 ml), você é imediatamente transportado para a infância. R. Joinville, 377, V. Mariana, 3884-2138.

 

Burdog

 

Os 300 ml do milk shake de creme (simples, R$ 19,50; com cobertura, R$ 21,40) tem boa consistência, bem fácil de puxar pelo canudo. Tanto a baunilha como o leite são bem acentuados. Av. Dr. Arnaldo, 232, Pacaembu, 3151-4849.

 

Toninho & Freitas

O de creme (R$ 18 o simples; com cobertura, R$ 19, por 600 ml da bebida) Bem parecido com o do vizinho Burdog, mas bem mais farto. Vem na temperatura certa, sem incomodar. Av. Dr. Arnaldo, 242, Pacaembu, 3259-4762.

 

Oregon

O Oregon (R$ 28,90, 500 ml) é um xodó da casa: sorvete de chocolate, licor de cacau, chantilly e granulado, com uma cereja no topo. Olhando para ele, dá até para se ver nos anos 1960. R. dos Pinheiros, 1.146, Pinheiros, 3814-3819.

 

Hamburguinho

 

O de chocolate (R$ 19,85, 700 ml) é bem classicão, sem inventar. A calda vai se misturando aos pouquinhos, conforme o shake vai sendo tomado. Boa temperatura. R. dos Pinheiros, 1.072, Pinheiros, 3815-6838.

 

Rockets

 

Um dos melhores provados, em uma casa que trata bem seus shakes e maltes. O de chocolate (R$ 25,90, 700 ml) é feito com sorvete de creme e Ovomaltine. Doce e leve. Av. Lorena, 2.090, Cerqueira César, 3081-9466.

 

SEM GOSTO POR REGRAS

Banana, paçoca, farofinha de castanha de caju e até torta de limão. Limite para quê? Entregue-se à deliciosa doçura das (boas) invencionices da cidade.

 

Túnel do tempo

 

Na Lanchonete da Cidade, o novo e o antigo convivem. Os shakes de Ovomaltine (R$ 12, o de 250 ml, R$ 18,50, o de 360 ml) combinam com o estilo retrô da casa. Já o de banana (R$ 19, 360 ml), dulcíssimo, é mais moderno: leva sorvete, mel, paçoca e canela.

 

SIMPLES

Quanto mais simples, mais gostoso

 

É assim no Chicohamburger, onde o milk shake de chocolate (R$ 20,10, 500 ml) é, disparado, melhor que o de macadâmia (R$ 23, 10, 500 ml), que tem o gosto artificial do xarope. Av. Ibirapuera, 1.753, Moema, 5051-3764.

 

Na medida

 

Temperatura ideal, consistência perfeita e doce no ponto exato, o milk shake Farofino (R$ 16,20, 300 ml), do America, vem com calda que acaba junto com a bebida, a sensacional farofa crocante de castanha de caju e, sim, chantilly. Shopping Anália Franco. R. Regente Feijó, 1.739, Anália Franco, 2672-8367 (e mais oito endereços).

DEMOCRACIA LÁCTEA

Pode ser na solidão de um drive-thru, sobre a mesa de fórmica de uma praça de alimentação ou nas

lanchonetes mais refinadas: o milk shake é consenso.

 

 

Fast food

Os shakes servidos em duas redes de fast food agradaram. O de Ovomaltine do Bob’s  (R$ 7,90, 300 ml) é um clássico - quase uma unanimidade mesmo entre os detratores da rede. O de chocolate do McDonald’s (R$ 5, 300 ml) é honesto, menos gelado que a média, boa consistência - só a calda é grossa demais.

Antigo - O Bob’s é pioneiríssimo no milk shake de Ovomaltine. A rede tem o sabor no cardápio desde 1959.

 

Força nas bochechas

 

Saboroso, o milk shake de torta de limão, com marshmallow e raspas de limão (R$ 23, 300 ml, e R$ 32, 500 ml), do General Prime Burguer é tão denso que faz com que você exercite bastante os músculos da bochecha. O mesmo acontece com a deliciosa versão de frutas vermelhas (R$ 15, 300 ml, e R$ 22, 500 ml), que poderia vir com mais calda para, na metade, não virar só mais um milk shake de morango. R. Joaquim Floriano, 541, Itaim Bibi, 3060-3333 (e mais um endereço).

 

SEM LIMITES PARA O SABOR

Pistache, milho verde, meio leite Ninho, meio Nutella... O desfile de ingredientes que dão arrepios nos tradicionalistas prossegue. Não torça o nariz, não.

Tem de tudo

 

No Zé do Hamburguer, milk shake é uma coisa séria. Seriíssima. O cardápio lista nada menos que 23 sabores. O de leite Ninho (R$ 17, 700 ml, sem cobertura) é um dos campeões de pedidos. E não há glutão que possa botar defeito: há versões com bolacha Negresco, beijinho, doce de leite, Nutella e até milho. R. Caiubi, 1.450, Pompeia, 3672-5532 (e mais um endereço).

 

Olha o Malte - O Brasil é o segundo maior consumidor mundial de Ovomaltine. Só perde para a... Tailândia.

 

Go Nuts

 

O canudo é tão espesso que mais parece um duto. Pudera! O shake de pistache do Chez Burguer é super denso. A ponto de nos fazer sentir falta do leite. Geladíssimo, começa bem doce (por isso a calda não faz a mínima falta) e termina com sabor pronunciado da noz (R$ 22, 600 ml). Al. Lorena, 2.101, Cerqueira César, 3062-8743.

 

STATUS DE ESTRELA

 

Milk shake é coisa séria para qualquer lanchonete que se preze. Em algumas delas, a bebida é, de longe, uma das atrações mais tentadoras do cardápio.

 

Bem casado

 

Nas quatro opções de milk shake do St. Louis, não se sabe se a calda se dissolve no sorvete com leite ou o se o milk shake envolve a calda, preparada ali mesmo. É uma harmonia de texturas - e sabores. No shake de framboesa (R$ 15, 400 ml), a calda de chocolate ameniza o azedinho do creme gelado, feito com a fruta fresca. Já no de Ovomaltine (R$ 14, 400 ml), a redundância do chocolate no sorvete e na cobertura sobe fácil pelo canudo. O de creme (R$ 13, 400 ml) vem envolto em delicioso caramelo, que pinta o branco a cada sorvida. R. Batataes, 242, Jd. Paulista, 3051-3435.

 

Pioneiro

 

Foi em 1977 que o Milk & Mellow abriu as portas - de um salão bem menor do que o atual. Logo ganhou o coração dos paulistanos, como um reduto seguro para matar a fome (o x-salada é famoso) até alta madrugada. Para muitos, ainda é uma das referências mais fortes de milk shakes na cidade. O de chocolate custa R$ 22. Av. Cidade Jardim, 1.085, Itaim Bibi, 3168-4516.

 

Na mão - Na falta da máquina de milk shake, o mais indicado é deixar o sorvete derreter um pouquinho e bater na mão. É que a velocidade do liquidificador aquece a mistura.

 

COLABORARAM CLÁUDIA SABBAGK E DANIEL TELLES MARQUES

Tudo o que sabemos sobre:
Divirta-semilk shakeverão 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.