Bea Borges/Divulgação
Bea Borges/Divulgação

São Paulo ganha seu primeiro festival internacional de teatro

MITsp começa em 2014 com títulos marcantes e muitos espetáculos inéditos no País

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2013 | 20h19

A oferta de espetáculos estrangeiros cresceu nos últimos anos. Mas, diferentemente de outras grandes capitais latino-americanas, como Buenos Aires, Bogotá e Santiago, São Paulo ainda se ressentia da ausência de um festival internacional. É para suprir essa lacuna que surge a MITsp- Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, que deve acontecer em 2014, entre os dias 8 e 16 de março.

Com cerca de dez espetáculos previstos e um orçamento que pode chegar aos R$ 3,5 milhões, o evento já tem 80% de sua grade definida. À frente da iniciativa estão Antônio Araújo, diretor do Teatro da Vertigem, e Guilherme Marques, diretor do complexo CIT-Ecum, Centro Internacional de Teatro Ecum. “São Paulo é uma cidade que convida à dispersão, mas isso não justifica a ausência de um festival de teatro”, pontua Antônio Araújo.

Entre os espetáculos selecionados estão títulos marcantes – a maioria deles inédita no País. É o caso de Cineastas, peça de Mariano Pensotti, um dos nomes mais proeminentes da cena argentina nunca antes visto no Brasil. Outra novidade por aqui é o Hamlet, de Oskaras Korsunovas. Ao lado de Eimuntas Nekrosius, trata-se de um dos encenadores mais importantes da Lituânia, nação de rica tradição teatral à qual pouco temos acesso. “Ao longo do ano, São Paulo tem recebido uma série de criações internacionais. Essa é uma possibilidade de trazer espetáculos. Mas existem outras”, acredita Araújo. “Pode-se também pensar em uma maneira compacta e intensiva, como em um festival.”

Como referência para a concepção da mostra, os organizadores apontam os antigos festivais internacionais produzidos por Ruth Escobar, que movimentaram o cenário teatral entre as décadas de 1970 e 90 e apresentaram às plateias brasileiras encenadores como Bob Wilson e Jerzy Grotowski.

Diretores igualmente polêmicos foram escolhidos pela curadoria do MITsp. Gólgota Picnic, do espanhol Rodrigo García, provocou celeuma por sua postura “blasfema”: traz um grupo de atores realizando um piquenique nas colinas onde Jesus Cristo foi crucificado. O italiano Romeo Castellucci foi outro que causou alvoroço na Europa com a montagem Sobre o Conceito da Face no Filho de Deus. Na França, as apresentações só puderam acontecer após intervenção policial, que veio conter as manifestações de católicos.

A peça nunca passou por São Paulo, mas abriu, em 2013, o Festival Poa em Cena. “É importante trabalharmos em parceria com instituições e outros festivais”, comenta Guilherme Marques, acrescentando que a mostra será realizada em parceria com o Itaú Cultural e as secretarias de Cultura do Estado e do Município.

Todos os ingressos serão gratuitos e a programação vai ocupar teatros públicos, como o Auditório Ibirapuera, o Centro Cultural São Paulo e o Teatro Sérgio Cardoso. A intenção é incluir uma criação brasileira na grade – ainda a ser definida – e trazer encontros críticos e workshops com artistas. Ainda que esta seja a 1.ª edição, as próximas já estão programadas para 2015 e 2016. “A escolha de espetáculos para esses anos já está bem adiantada”, diz Araújo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.