São Paulo ganha novo espaço cultural

A estréia em São Paulo, nesta sexta-feira, do espetáculo Bibi vive Amália, estrelado por Bibi Ferreira, marca a inauguração do Espaço Cultural Santo Agostinho. O antigo auditório do colégio Santo Agostinho, construção suntuosa próxima ao metrô Vergueiro, foi reformado com apoio da Comunidade Agostiniana da Espanha, que investiu R$ 3 milhões no projeto. Do palco aos estofados das poltronas, tudo é novo no teatro, que poderá abrigar desde peças de teatro e concertos até conferências e simpósios.Adriano Souza, supervisor do Santo Agostinho, afirma que o novo centro cultural também irá promover eventos para o público de baixa renda. "Esse é um dos nossos objetivos", diz. A direção artística está a cargo de Ronaldo Siambroni. A programação, que tem início com o musical de Bibi, prossegue com a exibição da peça Eles Preferem as Loiras, de Zezé Barbosa. A montagem estréia no dia 21 e fica inicialmente três meses em cartaz.Durante a semana, em horário comercial, o espaço será utilizado principalmente para palestras e convenções. Nos finais de semana, informa Adriano Souza, a idéia é diversificar. "Queremos promover espetáculos de música popular e erudita, de dança, de teatro, exposições." O espaço cultural faz parte do complexo do Colégio Santo Agostinho, fundado há 70 anos pelos padres agostinianos, que chegaram ao Brasil no final do século 19. O palco comporta espetáculos de pequeno e médio porte. A coxia é composta por cinco camarins. São 718 poltronas, sendo 6 delas reservadas aos deficientes físicos.Espaço Cultural Santo Agostinho - Rua Apeninos, 118, Liberdade, próximo à estação Vergueiro do metrô; Tel: (11) 278-25 88; Inauguração Sexta-feira, dia 8 de junho, com o espetáculo Bibi Vive Amália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.