São Paulo Fashion Week promove campanha contra anorexia

Sejam mais do que cabides. É esse o conselho que o psicólogo Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador da equipe de psicologia do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Ambulim), dará nesta segunda-feira, 22, a modelos e aos seus pais no Auditório do MAM, em São Paulo. A palestra, que envolve vários profissionais ligados ao tema, foi organizada pela São Paulo Fashion Week para tentar disseminar hábitos saudáveis entre as modelos. E marca também a posição da semana de moda sobre a obsessão das meninas em se manterem magras - no ano passado, a modelo Ana Carolina Reston, de 21 anos, morreu de anorexia, pesando apenas 40 quilos. "Sabemos que, no fim das contas, a anorexia e a bulimia são diretamente ligadas à baixa auto-estima", explica Abreu. Agora, para desfilar na SPFW, os modelos precisam ter mais de 16 anos e apresentar um atestado médico. A idade mínima leva em conta o período transformação física e psicológica dos adolescentes, além de uma escolaridade mínima. Também será lançada amanhã uma cartilha, com orientações básicas sobre saúde e como manter uma alimentação saudável. A idéia pode tanto afastar meninas saudáveis da paranóia da magreza e, ainda, aproximar as que já vivem o problema das entidades que oferecem ajuda. O coordenador do Ambulim alerta que um tratamento eficiente para o problema deve ser multidisciplinar, uma combinação de esforços de um psicólogo, um nutricionista e um psiquiatra. "Quero dizer a elas hoje que você não ganha na passarela pelo seu corpo, mas pela personalidade que mostra. Para isso, é preciso ter auto-estima. E eu posso assegurar que perder peso não é uma maneira de melhorar a auto-estima", diz ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.