São Paulo depois da meia-noite

São Paulo é uma das cidades que nunca dormem. E são poucas as cidades do mundo que têm ritmo e tantas alternativas de lazer durante o dia e a noite. Bom para quem gosta de freqüentar bares, restaurantes e cinema na madrugada, já que existem opções de sobra. Só durante a noite, há cerca de 350 mil carros circulando na cidade, 200 câmeras da CET em ação registrando o movimento de veículos, 2 mil policiais atendendo mil ocorrências, 500 bombeiros recebendo 15 mil ligações telefônicas e muita gente nas ruas. Algumas trabalhando, outras querendo diversão. Para quem está na segunda categoria, o primeiro programa da noite pode ser o cinema. Algumas salas voltaram a exibir a sessão da meia-noite, abandonada por alguns anos em razão da violência. Todas as vésperas de feriado, sextas-feiras e sábados, as redes de cinema multiplex UCI e Cinemark têm promovido "sessões saideiras" em praticamente todas as salas. Um levantamento feito pela UCI mostra que de janeiro até agora, 30 mil pessoas passaram pelas 20 salas da rede depois da meia-noite. Muitas delas seguiram para outros programas. Isso porque há alguns restaurantes 24 horas e outros que só fecham as portas depois das 4h. Logo, comer durante a madrugada não é problema e basta escolher o cardápio desejado. É possível encontrar abertos restaurantes de culinária japonesa, italiana, brasileira e variada. Há ainda diversas opções de lanchonetes para aqueles que, no horário, preferem encarar snacks em vez de comida. Se o fim da noite coincidir com o início da manhã, a pedida são as padarias e cafés espalhados pela cidade, já que, por aqui, noite e dia se confundem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.