Sandra Tucci exibe labirinto de esferas

A narrativa central do romance Memorial do Convento, de José Saramago, é a história de um sujeito que descobriu uma maneira de fazer um pássaro de madeira levantar vôo à custa de um combustível com supostos poderes sobrenaturais, o âmbar. Bolas de vidro da cor do material mágico que parecem ilustrações do romance do escritor português compõem um dos conjuntos de objetos articulados que formam o percurso proposto pela artista plástica Sandra Tucci aos visitantes da Galeria Luisa Strina, que será aberta nesta quarta-feira para o público e fica em cartaz até o dia 26.Dezenas de esferas vitrificadas na cor de âmbar e também em azul estão suspensas por correntes metálicas em disposição helicoidal, formando uma estrutura que a artista chama de participativa porque propõe uma relação física com o espectador. "Ela envolve o visitante sem ser o que costumamos chamar de obra interativa", explica a também professora de multimídia que ministra cursos de mídias digitais no Senac.Essa área de atuação, aliás, permitiu a amarração final dessa que é sua terceira individual nessa galeria. Os trabalhos, objetos de parede, objetos flutuantes (presos ao teto), esculturas, desembocam em uma criação virtual, também em terceira dimensão.Ao entrar no espaço expositivo da galeria, o visitante recebe um par de óculos com lentes vermelha e azul. A parede de fundo da montagem serve de tela para a projeção de uma animação em que o personagem principal, um círculo, percorre um caminho labiríntico invisível.O círculo se transforma em esfera e invade o campo visual da sala branca, dominando todas as obras, uma sensação conseguida pelo efeito 3D. O caminho do círculo não é demarcado na projeção, mas pode ser decodificado em outros trabalhos: quatro relevos de ferro cromado, labirintos reais, presos à parede, que indicam o caminho da esfera. "Todas as obras da exposição operam em conjunto, formando um trajeto a ser percorrido", avisa a artista plástica.Esse caminho começa na sala que antecede o espaço expositivo e se encerra em outro local, uma sala anexa, localizada no espaço imediatamente seguinte ao da exposição.As outras obras também são compostas de esferas, formas-chave da individual. Mas diferentemente das flutuantes, que são maiores e dispostas de forma harmônica, nas peças de parede as muitas bolinhas (de gude, até) são apresentadas em organizações caóticas, aprisionadas por um simulacro de moldura dourada, um comentário irônico sobre a apresentação convencional dos objetos de arte."A idéia da exposição nasceu da imagem do caviar", comenta Sandra Tucci. A noção criativa do ovo - no caso, a ova de peixe - fica mais evidente nos objetos emoldurados. É como se os maneirismos convencionais da exposição de arte enquadrassem, literalmente, as sementes de suas idéias, "os ovos de seus pensamentos". No livro de Saramago, as esferas capazes de fazer a imensa máquina voar eram obtidas em troca de um atributo humano criativo inestimável: a vontade. Sandra Tucci - De segunda a sexta-feira, das 10 às 20 horas; sábado, das 10 às 14 horas. Galeria Luisa Strina (Rua Padre João Manoel, 974) tel. 3088-2471. Até 26/5

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.