Sandra Falcone lança segundo livro

Ela poderia ser apenas uma advogada de sucesso. Graças à Internet, começou a colocar sua poesia na rede. Nesta segunda-feira, Sandra Falcone lança seu segundo livro, Notícias de Mim (Lemos Editorial, 176 págs., R$ 18), com o CD (R$ 15) em que seus poemas são lidos por ela, pelo ator Miguel Fallabela e pela poeta Elisa Lucinda. A noite de autógrafos começa às 20h, no Personnalité-Itaú (av. Paulista, 1318).Falcone assume-se como parte da geração de autores que surgiu por meio da rede. É gente que encontra no meio uma forma eficiente de expressar seus sentimentos e dores. "Virei poeta em 1997", conta, justamente quando a rede estava ganhando os computadores pessoais."Atrás da tela, a gente acaba se desinibindo." Depois que um amigo a convenceu a mostrar sua poesia, Sandra foi para o mundo virtual, onde começou a participar de grupos de revistas de poesia eletrônicas e a trocar textos com pares. Surgiu um fã, e, com ele, a coragem para publicar Retraços de Mulher, seu primeiro livro, já na segunda edição.Falabella, ela conheceu numa reunião de negócios. O ator contou ter gravado um disco de poesia, e Falcone aproveitou para dizer que também escrevia. Ele recebeu Notícias de Mim, escolheu os poemas e aceitou participar do CD. Hoje, Elisa Lucinda não apenas lê as obras de Falcone, como também as encena.O mercado financeiro é a especialidade da poeta como advogada. "Um dia, muito tempo atrás, achei que tinha muita diferença entre esse mundo e o da poesia", diz ela. Mas mudou de idéia: "É um mundo mais árido, mas também é preciso ser criativo no mercado de capitais, tem arte também", explica. "No meio em que vivo, há muitos poetas enrustidos; para mim mesmo, até assumir, foi muito difícil."Difícil ou não, Falcone agora é autora de textos curtos, organizados em versos intimistas, e não mais apenas de contratos elencados em artigos e parágrafos impessoais tratando de debêntures. Como boa advogada, Falcone escreve, num dos 82 poemas de Notícias de Mim: "Sou organizada/ arquivo minhas dores./ Já arquivei muitas./ Vez por outra,/ desarquivo uma."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.