Sandra de Sá celebra 30 anos de carreira com novo CD

Autora do rebatismo da sigla MPB como "Música Preta Brasileira", o que se deu há 20 anos, Sandra de Sá sempre foi movida pela certeza quanto à influência da cultura africana na brasileira. Seu avô materno, seu Manoel, era de Cabo Verde, e ela sente o maior orgulho disso. Em 2007, quando soube, por intermédio de uma pesquisa, que seu DNA é 96,7% africano (2,1% é europeu, 1,1% ameríndio), foi uma alegria só.

AE, Agencia Estado

08 Fevereiro 2010 | 10h34

"Tudo o que a gente tem é herança desses africanos que vieram para cá, tanto faz se é Moreira da Silva, Monsueto, Adoniran Barbosa, Demônios da Garoa, Originais do Samba, Leny Andrade...", diz Sandra, que está comemorando 30 anos de carreira e lançando o CD "AfricaNatividade - Cheiro do Brasil" (Universal/Nega Produções) - o título é mais um de seus neologismos. "É a África enquanto berço e a África na atividade, influenciando a nossa cultura."

O repertório - "uma mistura altamente ?brasuka?, soul, funk, samba, rock, blues, xote", segundo a própria - tem praticamente só composições próprias, com parceiros antigos, como Macau, Renata Arruba, Mombaça e Zé Ricardo. Faixas como "Cheiro de Brasil", "Crioulo" e "África" (esta, de Gil Gerson e César Rossini), que ela já havia gravado num LP, falam "do outro lado raiz" dos negros, do "suingue sensual" que nos une.

Outras, como "Imaginação", "Saudade da Gente", "E... Vamos Namorar", "Viver pra Viver" vêm de sua veia romântica. Em "Baile no Asfalto", em que conta com a participação do amigo Seu Jorge, ela relembra o passado no subúrbio onde nasceu. "Copacabana", em ritmo de bossa nova, Sandra compôs depois de um passeio pelo bairro carioca, antes de seguir para casa, na Lagoa.

"Fé" termina com uma oração numa língua crioula, na voz da cantora cabo-verdiana Ana Firmino. Sandra tem ainda como convidado o rapper angolano MCK, amigo feito no festival Hutúz, de celebração da cultura negra, com quem divide a faixa "Evoluir". Entre as regravações, além de "África", está "Pé de Meia", mais uma já registrada em LP, e "Sina", de Djavan. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.