JOSÉ PATRICIO
JOSÉ PATRICIO

Sambódromo e Interlagos não serão mais usados na Virada Cultural

Secretário de Cultura André Sturm reconhece erro e afirma, contudo, que a pegada de descentralização da programação e o uso dos equipamentos culturais seguirão como foco na próxima edição, em maio

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2017 | 19h52

O secretário de Cultura do prefeito João Doria, André Sturm, disse ao Estado que a próxima Virada Cultural, que ocorre tradicionalmente no mês de maio, não terá mais dois palcos que marcaram uma mudança radical na última edição: o Sambódromo do Anhembi e as dependências do Autódromo de Interlagos. Sturm avalia como um erro estratégico esses dois lugares, que tiveram público bem abaixo do esperado. “Esses espaços estarão fora da próxima Virada.”

No mais, o secretário fala que o evento deve seguir no mesmo projeto de descentralização de programação de 2017, que ele avalia como acertado. “As críticas que sofremos foram pré-Virada e fomos prejudicados por uma chuva forte no dia.” A ideia do uso maior dos aparelhos culturais, segundo Sturm, vingou. “As pessoas passaram a frequentar mais esses espaços depois da Virada, o que era nossa intenção.” As inscrições para os artistas que querem se apresentar em 2018 já foram encerradas, os curadores estão definidos e uma primeira triagem será feita em janeiro. O secretário não sabe informar ainda se haverá algum novo palco no centro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.