Samba inspira desfile de Beto Neves

Uma verdadeira roda de samba, com Mart´nália, Moska e Celso Fonseca, serviu de trilha para o desfile de Beto Neves, da Complexo B. Na passarela, mesas de bar, chope Devassa e salgadinhos. No corpo dos modelos, estampa de ladrilho hidráulico - comum no piso dos bares cariocas - apareceu em sungas, calças de alfaiataria, blazers sem forro e com quatro botões, shorts e bermudões. Tudo bem ajustado ao corpo.Beto inspirou-se no samba de Celso Fonseca ("A Origem da Felicidade") para compor sua moda primavera-verão. Na cartela de cores, rosa velho e verde e azul estonados, as cores dos confetes, segundo o estilista, além de preto e branco. São Jorge, ícone da marca, apareceu discreto - uma camiseta com o elmo do Santo Guerreiro. Nos cintos, frases bem-humoradas, como "feito pra vadiar" e "pra sambar o ano inteiro". O estilista acredita no blazer sem forro e na camisa de anarruga para dar um ar mais sofisticado ao homem que sai de bermudão ao lado da namorada bem arrumada. A roda de samba foi show à parte. "Foi como uma roda de samba, eu chamei um, outro quis vir. Somos todos amigos, ficamos todos em casa", disse Mart´nália.Juliana JabourMais cedo, a paulista Juliana Jabour havia feito sua estréia no Fashion Rio com uma releitura do náutico com toques retrô dos anos 50 e 60. Na passarela, a atriz Fernanda Lima, cliente da marca e amiga da estilista. Ela apresentou mínis e máxis vestidos em viscolycra, moletinho, gaze de viscose. Nas cores, fugiu do que chama o "náutico tradicional", com azul, vermelho e branco. Apostou no azul, amarelo e branco. O verde foi presença marcante no desfile, inclusive no mini vestido usado por Fernanda Lima, que tinha a cintura deslocada para o quadril e botões nas laterais. A estilista ousou com botas com franjas para o verão. "Eu uso muito. Procuro fazer coisas que gosto de usar e descubro que muita gente também gosta. Mas tem que ter atitude", disse.Moda HypeO Rio Moda Hype, espaço para novos estilistas do Fashion Rio, foi aberto pela Flesh Beck Crew, grife de moda masculina, que misturou streetwear com moda praia, com estilos e tendências inspirados nos movimentos culturais como o Dub e o Mangue Beat.A segunda grife a desfilar foi a Charlotte, de moda feminina. Para criar uma moda praia sofisticada, a estilista Carol Sofia apostou nas listras e sobreposições de vestidos evasês e bermudas na altura do joelho - já um clássico desta edição do Fashion Rio. O Cordel Regional buscou inspiração no samba para criar os looks masculinos, complementados pelo chapéu panamá e sapatos bicolores. Calças jeans e de sarja, bermuda e paletó foram as formas exploradas pelos designers. O destaque ficou para Despi Poppe, que estreou no Moda Hype e apostou em materiais inusitados, como azulejos, palhas e penas, para ornamentar vestidos evasês e saias godês. A grife investiu nas sedas exclusivas, no algodão e na renda renascença - produzida em Pernambuco com o espinho do Mandacaru. O marrom foi a cor mais marcante no desfile das estilistas Márcia Poppe e Despina Filos. Também se apresentaram no Moda Hype a Soul Seventy e Laço de Fita.Mais destaquesHoje também foi o dia do desfile dos novos designers, revelados em edições anteriores do Rio Moda Hype. Desfilaram as grifes Chiaro, Kylza Ribas e Reserva. A Chiaro, de moda masculina, se inspirou no cantor Wilson Simonal e trouxe para a passarela silhuetas justas e secas, golas padre, camisas cavadas e sem manga. O curinga é o colete da coleção, que sofreu a influência do início dos anos 70. As calças retas e secas, os paletós esportivos em linho, jeans com aviamentos flúor vieram em tons pastéis. Os acessórios eram xadrez ou listrado. Destaque para as camisetas com estampa de São Sebastião. Kylza Ribas inspirou-se na intimidade da casa para fazer uma coleção muito feminina, onde o vestido curto e amplo, com babados e drapeados é peça-chave. Alguns looks vieram com recortes plissados e mangas românticas. A cartela de cores apostou nos tons de pele, chino e azul jeans. O último desfile dos novos designers foi o da grife Reserva, que faz moda jovem masculina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.