Sai pesquisa sobre o mercado livreiro no Brasil

Volume de vendas em 2007 atinge 329 milhões de exemplares; editores faturam RS$ 3 bilhões

Da Redação,

01 de outubro de 2008 | 18h49

A radiografia do mercado livreiro no Brasil está pronta. Pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade São Paulo indica que o mercado cresceu 6,41% e as editoras faturaram R$ 3 bilhões, em 2007, comparando-se os resultados de 2006. A pesquisa foi encomendada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). O volume de vendas em 2007 atingiu os 329 milhões de exemplares, o que significa um aumento de 6,06% em relação ao ano anterior. O estudo aponta as livrarias como grande ponto de vendas, com 47,69% do total de exemplares vendidos em 2007, ou seja, cerca de 95,5 milhões dos 200,2 milhões de livros vendidos. Já o comércio de livros de porta a porta cresceu mais de 90% O maior comprador de livros continua sendo o governo federal, que adquiriu 129 milhões de livros e gastou R$ 726,8 milhões, ou seja, o governo responde por 24% das vendas das editoras. Mesmo assim, houve uma queda de 0,67% no volume dessas vendas em 2007, com relação a 2006. A pesquisa indica queda de 2,3% em relação ao número de títulos editados em 2007, comparativamente a 2006, interpretada como um reflexo da queda no ramo científico, técnico e profissional, que foi da ordem de 19,04% e da queda nos Didáticos, que foi de 6,03%. Já os títulos de livros religiosos cresceram bastante, 27,98% mais que em 2006. Os números indicam boa performance dos livros infantis, com crescimento de 15,18%. Em 2007 foram editados 45.092 títulos, sendo que 39.506 eram de autores nacionais e 5.586 de estrangeiros. Em relação ao número de títulos, houve queda de (-1,71%) nos autores locais e de(-4,18%) nos livros traduzidos, de 2006 para 2007. O número total de exemplares de autores nacionais subiu de 303 milhões em 2006 para 334,8 milhões no ano passado, um aumento de 10,5%. Já os exemplares de livros traduzidos tiveram queda de 5,95%, de 17,6 milhões em 2006 para 16,5 milhões em 2007. Um dos destaques do ano de 2007 foi o aumento de 237% nas vendas de livros para empresas, que ao todo compraram 8 milhões de livros. Pela Internet, as vendas ainda são pequenas, mas tiveram um crescimento alto, de 285%, passando de 891 mil, em 2006, para 3,4 milhões em 2007. O volume de livros vendidos em supermercados dobrou de um ano para o outro, chegando a 4,5 milhões de livros em 2007. A venda conjunta de livros e jornais também teve um aumento representativo (110%), com 1,647 milhão de exemplares vendidos.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado de livroscblsnel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.