Sai o vencedor de "No Limite" americano

Em clima de Quem Matou J.R.?, o tão famoso episódio da série Dallas, chegou ao final ontem nos Estados Unidos Survivor, a versão americana de No Limite da Rede Globo. O episódio final do programa da CBS, com duas horas de duração, mais um debate de uma hora ao vivo de Los Angeles, teve uma audiência prevista de 40 milhões de espectadores. O ganhador do prêmio final foi Richard Hatch, um administrador de empresas de Rhode Island, de 39 anos, abertamente gay. De acordo com pesquisas feitas pela CBS antes de o programa ir ao ar, ele era o que tinha menos chances de vencer. Com seu approach de "dividir e conquistar", o "sobrevivente" era o menos popular entre os candidatos que ficaram até o final na ilha de Pulau Tiga, no Mar do Sul da China. No último conselho tribal, Rich disputou o prêmio com a guia turística Kelly Wiglesworth, de 23 anos, que mora em Las Vegas, Nevada (ela levou US$ 100 mil pelo vice-campeonato). Desde o início, ele e outros três "náufragos" tinham uma aliança para votar para fora da ilha seus outros 12 concorrentes. A estratégia funcionou e os quatro ficaram por último. No fim das contas, a grande vencedora foi a CBS. A emissora uma das três grandes dos Estados Unidos (ao lado da ABC e da NBC), conseguiu transformar um pouco o perfil de sua audiência, que tinha mais de 50 anos, e hoje disputa o importante mercado consumidor jovem. Cada comercial de 30 segundos nos intervalos do final de Survivor foram vendidos por US$ 600 mil, uma façanha para o verão, o período em que a audiência da TV é mais baixa. Segredo absoluto - Outra façanha da CBS foi manter o segredo de quem era o ganhador. O programa foi filmado quatro meses atrás e mais de 150 pessoas tinham conhecimento do segredo. Por conta de contratos que previam processos de US$ 4 milhões para quem abrisse a boca, a emissora conseguiu levar o suspense até o final. Survivor 2, que vai ser feito no interior da Austrália, já começou a escolher seus participantes, que vão concorrer novamente ao prêmio de US$ 1 milhão. O programa vai ser rodado até o final do ano e tem previsão de ir ao ar na CBS no início de 2001. O produtor da série americana, Mark Burnett, tem planos ainda mais ousados para outro show do mesmo tipo. É Destination Mir, que vai levar a "TV verdade" para o espaço. O game show vai ter como prêmio uma viagem de 10 dias à Mir. É no campo de treinamentos Star City que entre 13 e 15 competidores vão concorrer, durante um treinamento especial, à chance de viajar à estação espacial russa. A votação para tirar um competidor de Destination Mir por vez vai ser feita entre os representantes do programa espacial russo. O vencedor vai ser mandado para o espaço, acompanhado de dois astronautas, em um foguete Soyuz tudo com transmissão ao vivo pela TV americana. Dá para imaginar a audiência deste episódio. Em seguida, o programa (que deve ir ao ar em setembro de 2001) vai mostrar as aventuras do sujeito na estação e sua volta para a Terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.