Sai em livro relato completo do "Dia D"

Winston Churchill, o lendário primeiro-ministro britânico que conduziu o Reino Unido durante o período mais crítico da 2.ª Guerra, definiu o desembarque das tropas aliadas na França invadida, no dia 6 de junho de 1944, como "a mais difícil e complicada operação de todos os tempos". Lida hoje, quase 60 anos de História depois, a frase ainda não parece exagerada. O "Dia D" - nome pelo qual se popularizou a operação que tinha o codinome militar de "Overlord" - teve caráter épico e pode ser listado como um dos cinco dias mais importantes do século 20.Em O Dia D, 6 de Junho de 1944 ?A Batalha Culminante da Segunda Grande Guerra, o historiador americano Stephen Ambrose reúne um dos mais completos relatos sobre a operação que envolveu 175 mil soldados americanos, britânicos, canadenses, franceses, noruegueses e poloneses. Ele é um velho conhecido daqueles que se interessam pela história da 2.ª Guerra. É o autor de Band of Brothers, livro que inspirou a série televisiva homônima produzida por Steven Spielberg e Tom Hanks e exibida pela "HBO", canal de TV a cabo.Desta vez, Ambrose, diretor do Centro Einsenhower da Universidade de Nova Orleans ?instituição que reúne farta documentação sobre a Segunda Guerra ?mergulhou nos arquivos para compilar mais de 1.400 depoimentos orais e escritos de personagens do "Dia D", de soldados a generais. O resultado é uma obra de referência histórica sem igual.Com base no cruzamento dos relatos guardados no Centro Einsenhower e em centenas de entrevistas que fez, auxiliado por uma equipe de poucos colaboradores, Ambrose descreve com riqueza de detalhes, por exemplo, como foi dado o primeiro tiro do desembarque da tropa aliada nas praias Normandia. Ele conta que aos 16 minutos da madrugada de 6 de junho de 1944 o tenente britânico Den Brotheridge desceu de um planador com um pelotão de 28 homens. A missão: destruir os ninhos de metralhadoras nazistas baseados em uma ponte móvel sobre o Canal de Caen.O primeiro passo da invasão, rigorosamente planejado, parecia ter caído por terra no momento em que um adolescente alemão de 17 anos, o soldado Helmut Romer, avistou os primeiros 21 pára-quedistas ingleses vindo em sua direção, com armas apoiadas nos quadris. O soldado alemão correu pela ponte gritando para a sentinela, que disparou sua pistola de sinalização. Neste momento, o tenente Brotheridge disparou o pente de 32 cartuchos de sua metralhadora Sten sobre os dois.Foram os primeiros tiros da operação que mudaria o curso da 2.ª Guerra. A missão seria bem sucedida. Cinco minutos depois os inimigos nas proximidades da ponte ou estavam mortos ou haviam fugido. Mas Brotheridge, um jovem de 26 anos apaixonado por futebol, que havia passado os últimos 24 meses em treinamento para este dia, não saberia que seu nome entraria para a história. Naqueles cinco minutos de assalto aliado ele seria atingido no pescoço por uma bala nazista. Brotheridge foi, também, o primeiro soldado aliado morto no " Dia D".O Dia D, 6 de Junho de 1944 ?A Batalha Culminante da Segunda Grande Guerra, de Stephen E. Ambrose; Editora "Bertrand do Brasil"; 788 páginas; R$ 59,00 em média.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.