Sai biografia de Dulcina de Moraes

Sai a biografia de Dulcina de Moraes, uma das grandes divas do teatro brasileiro, escrita por Sérgio Viotti. O diretor, dramaturgo, escritor e ator de teatro, atualmente atua na minissérie Os Maias, da TV Globo, no papel de Padre Vasquez e foi amigo de Dulcina que entrevistou inúmeras vezes para escrever Dulcina e o Teatro de seu Tempo. Publicado pela Lacerda Editores, o livro traça um painel da história do teatro ao retratar a vida da atriz nascida no Rio, no dia 3 de fevereiro de 1908. Dulcina começou sua carreira nos anos 20, na Companhia Brasileira de Comédia, de Viriato Correia. Aos 17 anos, entrou para o grupo de teatro de Leopoldo Fróes, o mais importante do início do século. Em 1934, iniciou uma longa e fértil parceria com o ator Odilon de Azevedo, seu marido por 38 anos. A Cia.Dulcina-Odilon marcou época, inovando a cena teatral brasileira e tendo seu quartel-general no teatro Regina, hoje Dulcina, no centro do Rio. Marcaram época também as três temporadas oficiais da Companhia no Teatro Municipal do RJ, em 1944, 45 e 47, quando foram apresentadas César e Cleópatra, de Bernard Shaw, e Bodas de Sangue, de Federico García Lorca. Nos anos 50, Dulcina criou a Fundação Brasileira de Teatro no RJ. Entre centenas de peças encenadas, seus maiores sucessos foram Chuva, de Somerset Maugham, e Amor, de Oduvaldo Vianna. Em 1971, construiu num terreno doado pelo governo em Brasília a sede da Fundação Brasileira de Teatro, onde montou espetáculos e deu aulas até três anos antes de morrer de pneumonia, em 1996, aos 88 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.