Sai a biografia autorizada de Silvio Santos

No mesmo ano em que Silvio Santos faz 70 anos, o jornalista Arlindo Silva, que já escreveu para a revista O Cruzeiro e trabalhou com o "homem do baú" por 25 anos, lança uma biografia sobre ele. Filho de pai grego e mãe turca, Senor Abravanel, como é chamado o mais popular apresentador de TV brasileiro, nasceu na Lapa, Rio de Janeiro, em 12 de dezembro de 1930. A Fantástica História de Silvio Santos conta as saudades da infância e a boa relação de Silvio com o irmão Léo (Leon). Inclui ainda a história de como ele se tornou camelô que, curiosamente, tem a ver com as eleições para a Presidência da República em 1946, quando o marechal Eurico Gaspar Dutra se elegeu. Nessa época, Silvio trabalhava apenas 45 minutos por dia e ganhava mais como camelô do que como radialista, profissão que conheceu aos 14 anos. O contato com o rádio levou Silvio (como era chamado pela mãe) Santos ("porque os santos ajudam") às portas da TV. Seu primeiro programa foi Vamos Brincar de Forca?, exibido pela Rede Globo. No ano seguinte, Silvio já se tornou o "homem dos domingos", quando passou a apresentar o Programa Silvio Santos, na mesma emissora. O programa existe até hoje, 38 anos depois (agora no SBT), e é o que está mais tempo no ar no Brasil, conforme registra o Guiness Book.Arlindo Silva descreve como conheceu o apresentador. Ele era avesso aos jornalistas que o consideravam brega na época, mas se surpreendeu com sua reportagem para a revista O Cruzeiro. O jornalista, assim, conquistou a confiança de Silvio. A partir daí, o autor mostra mais do que a trajetória do apresentador. É quase um depoimento de alguém que assistiu de perto e contribuiu para algumas de suas grandes conquistas, como a briga pelo primeiro canal de televisão do Grupo Silvio Santos. Silva também se envolveu em decisões cruciais, por exemplo, quando Silvio Santos tentou entrar para a política. Arlindo, nesta época, era assessor de imprensa de Silvio.O envolvimento do "homem dos domingos" com a política é assunto para 102 das 277 páginas do livro. Silvio teve seu nome cogitado para candidato a prefeito de São Paulo pelo PFL em 1988, mas desistiu antes de a campanha se iniciar. Depois, tentou ser candidato à presidência da República em 1989, também pelo PFL, desistiu no último momento devido a problemas em sua garganta, para depois retomar a idéia se afiliando ao PMB. Porém sua candidatura foi impugnada, devido a irregularidades no partido. Mais tarde, no PST, Silvio Santos sofreu pressões para concorrer ao cargo de governador do Estado de São Paulo e aceitou. Mais uma vez, porém, o apresentador desistiu no último momento, para dar prioridade às suas atividades empresariais. Em 1992, seu nome voltou a ser cotado para as eleições à prefeitura de São Paulo causando uma guerra interna no PFL. Por fim, uma decisão do TSE impediu que o partido lançasse candidato, minando as chances de Silvio Santos como concorrente. A Fantástica História de Silvio Santos - 277 páginas - R$ 23,90

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.