Saem os primeiros vencedores de Joinville

A competição começou. Na primeira noite da fase competitiva do 18.º Festival de Dança de Joinville imperaram os grupos de dança clássica. Na modalidade Balé Clássico de Repertório Tradicional, categoria avançado, venceu um dos grupos mais aplaudidos da noite, da Escola de Ballet Sesiminas, de Belo Horizonte, Minas Gerais, que apresentou a coreografia Dom Quixote, de Marius Petipá.O pas de deux formado por Ana Caroline Pagano, de 23 anos, e por José Antonio Ramos, de 25 anos, arrancou aplausos e gritos da platéia. Parece às vezes que é um campeonato esportivo e não de dança. É a décima vez que Ana Caroline participa do festival, já tendo conquistado o segundo lugar na categoria solo, em 1994. José Antonio é um cubano que era bailarino da companhia cubana, mora no Brasil há três anos e participa do festival pela quarta vez. O segundo lugar ficou com o grupo Talhe, do Rio de Janeiro, e o terceiro, com Paula Castro Cia de Dança de São Paulo.Outra dupla ovacionada pela platéia venceu na categoria Ballet de Repertório Grand Pas de Deux Sênior: os bailarinos Paloma Souza, de 15 anos e Diego Vitor de Paula, de 16 anos, que dançaram graciosamente a coreografia Harlequinade, conforme adaptação de Valéria Matos. Eles pertencem ao Estúdio Márcia Belarmino, de Suzano, São Paulo. O segundo lugar ficou com Grupo Especial, de São Paulo e o terceiro com a Cia. Jovem Paula Castro.Mais uma jovem bailarina conquista a crítica e a platéia. Nina Botkay, de 13 anos, filha de pai francês e neta de húngaro, apresentou-se com a coreografia Cupido do Balé Dom Quixote, de Alícia Alonso. Com essa mesma coreografia ela ganhou o Cuballet, em janeiro deste ano e o Concurso do Conselho Brasileiro de Dança, no mês passado. Nina pertence à Thalhe Escola de Ballet do Rio de Janeiro. Em segundo lugar ficou a Companhia Mineira de Danças Clássicas e em terceiro a Juvenil do Estúdio de Dança Luciana Junqueira, de Ribeirão Preto, São Paulo.As outras categorias não fizeram tanto sucesso. Para dança de salão foi destinado um único terceiro lugar para a Cia. de Dança Edson Nunes, de Florianópolis, Santa Catarina, que deu uma versão curiosa para o forró. E para a categoria Dança Folclórica foi destinado um segundo lugar para o grupo Expressão, de Nova Iguaçú, Rio de Janeiro, que apresentou uma coreografia de dança espanhola e um terceiro para o grupo Especial da Escola Municipal de Bailado de Ourinhos, São Paulo, que apresentou um número de dança ucraniana.Os vencedores foram escolhidos por um júri formado por cinco componentes. Entre eles, Alphonse Poulin, diretor artístico do Teatro Das da Holanda, entre outras atividades; Ivonice Satie, diretora do Balé da Cidade de São Paulo; Marc de Graef, professor na Escola Superior de Dança de Portugal; Carlos Moraes, diretor do Teatro Castro Alves da Bahia; e Toshie Kobayashi, diretora e professora da Escola de Balé homônima e membro do Royal Academy of Dancing de Londres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.