Saatchi cria galeria virtual para novos artistas

O publicitário, colecionador e marchand britânico Charles Saatchi criou uma galeria na internet aberta aos artistas de todo o planeta.Your Gallery permite que artistas de qualquer país apresentem sua obra, com detalhes biográficos e dados de contato.Saatchi, o gênio publicitário por trás da Jovem Arte Britânica e de fenômenos como o de Damien Hirst, hoje multimilionário graças a seus tubarões e vacas em formol, pretende alcançar nas artes plásticas o mesmo sucesso que o grupo Arctic Monkeys conseguiu na música, segundo o jornal The Guardian.O grupo chegou ao topo da lista de vendas do Reino Unido da noite para o dia, sem recorrer aos métodos tradicionais de lançamento, graças a uma forte presença em portais de internet.Bem recebido pela crítica, o Arctic Monkeys bateu recordes de venda com seu primeiro CD, Whatever people say I am, that´s what I´m not, na semana do lançamento.Numa época de "fast art" (arte rápida), os criadores querem a fama logo de cara. Saatchi procura algo semelhante para a pintura e a escultura, e a fórmula parece ter sucesso.Desde seu lançamento, há um mês, 1.750 artistas já exibiram suas obras no site, que atrai diariamente mais de 1,4 milhão de visitantes.O marchand Bernard Jacobson afirma ter comprado várias obras graças ao portal, informa o The Guardian. Segundo Jacobson, o portal é uma idéia "excelente" já que permite descobrir trabalhos de artistas jovens que normalmente passariam despercebidos.As vendas são livres de comissões e alguns dos artistas que expõem suas obras afirmam que receberam ofertas de até 150 mil euros por suas obras.Stella Vine, uma artista muito polêmica lançada por Saatchi, reconheceu que sua carreira progrediu graças à internet, que transformou sua forma de se relacionar com clientes potenciais e admiradores.Pessoas próximas a Saatchi disseram ao The Guardian que o portal é uma tentativa de diminuir a pompa do mundo da arte e ao mesmo tempo descobrir futuras estrelas.Esta semana, The Guardian lançou uma revista virtual e um blog sobre as obras expostas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.