Kátia Kuwabara/Divulgação
Kátia Kuwabara/Divulgação

Rumo, de volta aos antigos

Geraldo Leite reúne grupo para recriar canções raríssimas dos anos 1930 e 40

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

Em 1981, o Grupo Rumo, de São Paulo, estreou em disco em versão dupla com dois trabalhos complementares. Um deles se chamava Rumo aos Antigos, e trazia para uma nova geração de versões digamos "atualizadas" de canções raras de Noel Rosa, Lamartine Babo, Sinhô e seus parceiros. Uma canção inédita de Luiz Tatit, Pro Bem da Cidade, fazia a ligação com o outro álbum, Rumo, que terminava com Chequerê (Sinhô), fechando o círculo de volta a suas principais influências.

Trinta anos depois, por iniciativa do cantor Geraldo Leite, o grupo voltou a se encontrar em projeto similar. Só que o CD Sopa de Concha foi ainda mais fundo na questão, reunindo canções raríssimas, com sabor de ineditismo, extraídas de discos de 78RPM das décadas de 1930 e 40.

Rara também é a oportunidade de ver o grupo reunido - amanhã, domingo e terça no Sesc Vila Mariana, nos shows de lançamento do CD. O último encontro de Geraldo com Ná Ozzetti, Luiz Tatit, Paulo Tatit, Zécarlos Ribeiro, Hélio Ziskind, Gal Oppido, Pedro Mourão e Akira Ueno no palco foi no lançamento do antológico DVD comemorativo de seus 30 anos de carreira, gravado em 2004 no Sesc Pompeia.

Além de 13 das ótimas 15 canções de Sopa de Concha, o roteiro inclui preciosidades de Rumo aos Antigos e clássicos autorais do grupo, como Ladeira da Memória, Carnaval do Geraldo, Delírio Meu, Esperança Ribeiro, Canção do Carro. "São 25 músicas sem contar o bis", diz Geraldo.

Foi ele quem fez toda a pesquisa de repertório, bancou a produção com Zécarlos e dividiu o trabalho de mixagem com Hélio, Homero Lotini e Swami Jr., responsável pela produção. Gal fez as ilustrações do encarte e da capa do CD e os demais participaram tocando e cantando. Mário Manga, Toninho Ferragutti, Fábio Tagliaferri, Guilherme Kastrup, Nailor Proveta e André Mehmari, estão entre os músicos da banda. Alguns deles vão estar nos três shows.

Se Noel dominava o repertório de Rumo aos Antigos, nesse ele comparece com apenas uma canção, a mais conhecida do CD: a marchinha Não Resta a Menor Dúvida, parceria com Hervé Cordovil. As outras raridades são de Ary Barroso, Ciro de Sousa, Lamartine Babo, Ataulfo Alves, Marino Pinto, Antônio Nássara, Haroldo Lobo, Pedro Caetano, Wilson Batista, entre outros, muitos deles assinando em duplas.

A parceria mais inusitada é a do baiano Assis Valente com o pernambucano Luiz Gonzaga em Pão-Duro (1946). Originalmente uma marcha militar, aqui transformada em baião, é a composição mais recente do CD. Assis também assina sozinho a mais antiga, Gosto Mais do Outro Lado, de 1934, com letra dúbia e intrigante.

Acervo do IMS. O choro Honrando Um Nome de Mulher (1936), só com a voz de Ná e o piano de Mehmari, é outro achado. A gravação original é de Carmen Miranda e os autores estão entre os menos lembrados: Gadé e Valfrido Silva. No mais, predominam variações de samba e marchinhas, com letras bem-humoradas que revelam costumes e cenas do cotidiano de época.

Geraldo encontrou essas raridades todas pesquisando no Instituto Moreira Salles. Desencavou muito mais material, obviamente, e chegou a selecionar 80 canções na primeira triagem. "A principal fonte de inspiração foi o disco Rumo aos Antigos. Desde aquela época essa ideia ficou na minha cabeça. Uns três anos atrás comecei a ir no IMS nos fins de semana e descobri um canto deles de digitalização de discos de 78 rotações. Comecei a puxar coisas gravadas por Carmen Miranda, Joel e Gaúcho, Mario Reis, e o que mais me deixou impressionado é que, mesmo acompanhando bastante a história, não conhecia aquilo", conta Geraldo. "Descobri coisas que se João Gilberto encontrasse ia querer cantar."

Com um "material de primeiríssima" na mão não foi difícil convencer os parceiros do Rumo a participarem do projeto. Inviável era juntar todos durante dois meses num estúdio. Daí a opção pelo esquema de participações.

Até certo ponto, os arranjos seguem os padrões antigos, mas a sonoridade é moderna. Quem quiser comparar as gravações de Sopa de Concha com os originais pode pesquisar música por música no site www.ims.com.br, por meio da opção "busca no acervo".

RUMO

Sesc Vila Mariana.

Rua Pelotas, 141, Vila Mariana, tel. 5080-3000.

Sáb., 21h; dom. e 3ª, 18h. R$ 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.