Rubem Fonseca vence o Prêmio Camões 2003

O escritor Rubem Fonseca é o ganhador do Prêmio Camões deste ano e fará jus a US$ 100 mil (quase R$ 300 mil). O resultado foi anunciado hoje pelo presidente do júri, o angolano Artur Pepetela, que elogiou o lado social e experimentalista de sua obra. O Camões foi instituído em 1989 pelos governos do Brasil e Portugal para premiar autores de língua portuguesa.Mineiro de Juiz de Fora, Fonseca tem 78 anos e acaba de lançar seu último livro, Diário de um Fescenino. Mas é com seu título anterior, Pequenas Criaturas, que concorre também ao Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, na categoria Contos e Crônicas. O resultado do Jabuti será conhecido no domingo, na 11ª Bienal Internacional do Livro.Os escritores brasileiros Autran Dourado e Luis Fernando Verissimo consideraram justa e merecida a escolha de Rubem Fonseca para o Camões 2003. "Estou feliz e satisfeito pela escolha de Rubem Fonseca, pois é uma emoção gratificante receber uma premiação dessa categoria", disse Autran Dourado, vencedor do Prêmio Camões em 2000. Fã dos contos de Fonseca, Dourado destaca que, além de representar um reconhecimento do público pelo trabalho do escritor, a conquista desse prêmio é uma certificação significativa para a divulgação da obra no mercado nacional e, especialmente, no exterior.Na opinião de Verissimo, a escolha de Fonseca "foi uma bela escolha"."Rubem é um mestre nos romances e nos contos", elogia Verissimo que, somente nos últimos três anos, vendeu 3 milhões de exemplares dos seus 57 livros lançados desde 1973. O colunista do Estado observa que, apesar de Fonseca ser avesso às entrevistas e às fotos, é uma pessoa expansiva, bem humorada e simples. "Ele tem um estilo duro, mas consegue mesclar de uma maneira criativa e atraente que nos envolve na leitura", observa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.