Rubem Fonseca aparece, no México

O escritor brasileiro Rubem Fonseca que nunca se deixa fotografar, raramente aparece em público por aqui e muito menos discursa, teve seu retrato exposto em enormes painéis e foi pessoalmente até o México para receber das mãos do escritor colombiano (prêmio Nobel de Literatura) Gabriel García Márquez, no sábado, o Prêmio de Literatura latino-americana e do Caribe Juan Rulfo, um dos mais importantes da literatura no continente."Quero dizer sinceramente que me sinto muito honrado em receber este prêmio, honrado e feliz, porque isto acontece aqui no México, um país pelo qual sinto uma grande admiração e onde tenho um dos meus amigos (García Márquez)", disse Rubem Fonseca."Estou feliz em receber este prêmio das mãos de Gabriel García Márquez", acrescentou.A personalidade arredia do escritor gerou muita especulação sobre sua presença na cerimônia de premiação, mas o autor de Os Prisioneiros, sem dúvida, ao saber que García Márquez lhe entregaria o prêmio de US$ 100 mil, decidiu comparecer. Fonseca contou que o escritor Alvaro Mutis entregou a García Márquez uma cópia de Pedro Páramo, considerada obra-prima de Juan Rulfo.Na ocasião, Mutis disse a García Márques: "leia para que aprendas", contou Fonseca rindo. Quando leu a obra de Rulfo, disse, ficou impressionado com a riqueza dos textos do autor. "São a realidade da imaginação", resumiu.O escritor brasileiro, que este ano já recebeu também o prêmio Camões, um dos mais destacados da língua portuguesa, é considerado uma das vozes narrativas mais importantes da literatura moderna na América Latina. Autor de A Coleira do Cão, Feliz Ano Novo, Lúcia McCarney, O Cobrador e talvez sseu romance mais famoso Agosto, que narra os agitados dias que se seguiram à morte do presidente brasileiro Getúlio Vargas no verão de 1954. Autor ainda de Pequenas Criaturas, Histórias de Amor/E do Meio do Mundo Prostituto Só Amores Guardarei ao meu Charuto, A Confraria dos Espadas e o mais recente Diário de um Fescenino.Entre os autores que já receberam o Premio Juan Rulfo estão Cintio Vitier, Juan García Ponce, Juan Gelman, Sergio Pitol,Augusto Monterroso e Nélida Piñón, entre outros. A entrega do prêmio ocorreu na inauguração da 18.ª Feira Internacionalo do Livro de Guadalajara, da qual participam 1.432 editoras de 32 países, lançando cerca de 90 mil títulos. A cidade convidada deste evento é Quebec, Canadá, respresentada por uma delegaçãs de 400 artistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.