Roubadas esculturas de Brennand no Recife

Dezessete peças em bronze do artista Francisco Brennand que integram o Parque das Esculturas, no Bairro do Recife Antigo, foram roubadas neste final de semana. A informação foi dada ontem pela Prefeitura, que afastou os quatro homens encarregados da vigilância do local. O Parque das Esculturas faz parte do projeto Eu ví o mundo... Ele começava no Recife, idealizado em 1999, na gestão do ex-prefeito Roberto Magalhães, para assinalar a passagem do milênio. Montado sobre os arrecifes naturais do Porto, em frente ao marco zero da cidade, o Parque tem cerca de 80 esculturas, todas de Brennand, sendo a principal delas a Coluna de Cristal, com 32 metros de altura, revestida de cerâmica e bronze. A peça causou polêmica por ter tido uma primeira versão, muito semelhante ao sexo masculino, vetada pelo ex-prefeito,, conforme noticiou a imprensa local. Irritado, Roberto Magalhães foi ao Jornal do Commercio armado, para tomar satisfações com o jornalista. Na época, mesmo indignado, Brennand refez o projeto. No dia 2 de janeiro, quatro dias após a inauguração, duas esculturas foram quebradas por vândalos e a vigilância da área foi reforçada.As peças desaparecidas este final de semana - 17 ovos de bronze - faziam parte de 51 peças deste mesmo material, que inclui pássaros e tartarugas, doadas ao projeto. Para Brennand, os ladrões estavam interessados no cobre, como os que roubam fiação elétrica. O artista não responsabiliza a prefeitura pelo roubo e pretende repor as peças desaparecidas não mais em bronze, mas em cerâmica. O chefe da guarda municipal, Manoel Caetano, supõe que o roubo tenha ocorrido de madrugada e de barco. O acesso ao parque é feito normalmente de barco, embora se possa chegar a ele também de carro.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2001 | 19h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.