Rosa Chá, Carlos Miele, Herchovitch e Iódice em NY

Grifes desfilam coleções para o Verão 2009 na Semana de Moda de NY; cresce o prestígio da moda brasileira

Teresa Ribeiro, do estadao.com.br,

05 de setembro de 2008 | 19h45

Está dada a largada para a temporada de moda do outro lado do Atlântico. Começa nesta sexta, 5, a semana de moda de Nova York. Depois vêm os desfiles de Londres, no dia 14, a temporada de Milão, no dia 20 e a semana prêt-à-porter de Paris, com início no dia 27. Em Nova York, ao lado das marcas de renome internacional, como Carolina Herrera, Ralph Loren, Calvin Klein, quatro grifes brasileiras marcam presença no evento.   Alexandre Herchovitch e Rosa Chá, desfilam suas coleções de Verão 2009 neste sábado, 6, a Iódice mostra a sua na terça, 9 e Carlos Miele, o estilista brasileiro pioneiro na semana de moda de NY, onde tem uma loja desde 2003, fará seu desfile na quarta, 10. No ano passado, Miele abriu sua loja em Paris, Herchovitch e Osklen, em Tóquio. A Osklen tem ainda lojas em Portugal, Itália e Genebra, na Suíça. Sem falar nas grifes que atraem cada vez mais compradores estrangeiros, segundo a Associação Brasileira de Estilistas (Abest), como Herchovitch, Isabella Capeto e Serpui Marie, cujas bolsas já foram parar nas mãos de Jennifer Aniston, por exemplo.   Este ano é a vez da Rosa Chá inaugurar sua loja em Nova York, no bairro do Soho, aberta desde o início de agosto. A grife já possui lojas em Lisboa, Miami e Istambul. A nova coleção de Amir Slama com destaque nos recortes e cores, traz modelos inspirados na obra do artista plástico brasileiro que mora na França, Gonçalo Ivo. Na foto, o modelo com o qual a top Isabeli Fontana vai abrir a passarela em NY. A repórter Flávia Guerra vai contar aqui no estadao.com.br tudo sobre o desfile.   O status que a moda brasileira vem conquistado fora do País ganhou um registro importante recentemente, em artigo de Rachel Shields no jornal inglês The Independent. Ela diz que os designers brasileiros lideram um novo look que avança pela Europa e Estados Unidos. Fazem uma moda jovem e vibrante para um público idem, diz Rachel, que cita um índice de avaliação do mercado em US$ 22 bilhões com crescimento e 7% ao ano. E aponta a preferência de celebridades como as cantoras Alicia Keys e Janet Jackson pelas roupas da estilista baiana Marcia Ganem, destaca o sucesso dos vestidos da estilista alagoana Martha Medeiros e especialmente de Daniella Helayel, da marca Issa, que veste Keira Knightley, Scarlett Johansson e Eva Mendez.     Não foi à toa que a crítica de moda do Estado Lilian Pacce citou o artigo, também postado em seu blog, em curta palestra de apresentação das novas atividades da Eberle Fashion, dia 25, no Baretto. A empresa, ligada o grupo Mundial SA, que inclui os alicates de cutícula, a marca Impala de esmaltes e cosméticos, os talheres e utensílios Hércules, entre outros, anuncia em grande estilo um investimento de R$ 2 milhões a fim de aprimorar sua ação como uma metalúrgica que fornece assessórios para a indústria da moda. Também reformula sua revista Spot, que agora fala de arte, moda e comportamento, para fixar seu nome nesse universo, com seus 15 mil exemplares distribuídos gratuitamente, mas aspirando chegada às bancas em futuro próximo.  A Eberle Fashion faz botões de metal, como os da calça jeans, acessórios, e produz peças especiais para os estilistas usarem em suas criações.   Também em agosto surgiram novos sinais de profissionalização do mercado nacional, com a confirmação da sociedade entre Paulo Borges, o midas da SPFW, com a InBrands, empresa ligada ao banco de investimentos UBS Pactual - que já administra a Ellus, 2nd Floor e Isabela Capeto. O passo rumo à profissionalização deve ampliar as atividades de seu Grupo Luminosidade que, além da SPFW, mantém publicações como a Revista Mag!, SPFW Journal e o portal spfw.com.br.   E esse ano fashion promete acabar bem em novembro, com o megaevento idealizado pelo publicitário Nizan Guanaes que pretende transformar o Rio de Janeiro na capital mundial da moda praia, com o Rio Summer, que vai ocupar o Forte de Copacabana de 5 a 8 de novembro. E, quem sabe, fechar assim um ano sem par na moda brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.