Ronaldo Fraga leva boemia à passarela do SPFW

Ronaldo Fraga abriu o dia no São Paulo Fashion Week em clima de boemia. A historinha da vez - e ele é mestre em contar causos com panos - foi uma crônica para Lupicínio Rodrigues. Fraga batizou sua coleção de Quantas Noites não Durmo e recheou a passarela de figuras chiquérrimas, mas flagradas não na hora em que estão saindo para a festa, e sim voltando da balada. Bocas manchadas, marcas de batom nas camisas, calças e pescoço davam o clima de "a noite foi boa".Ronaldo Fraga aprimora cada vez mais sua modelagem e parece que perdeu o medo de deixar sua moda chegar pertinho do corpo feminino. Em vez dos vestidos de linhas retas de sempre, para o outono inverno ele ajustou o shape, modelou cinturas, e ficou chique até não poder mais. É a versão luxo de Ronaldo Fraga, partindo até do algodão colorido da Paraíba. Estampas de viagra (já que amor é o tema predominante da coleção e não dá para não falar na pípula azul)apareceram em azul e dourado. O tom metálico predominou e apareceu em rendas e aplicações.Fraga brinca com o masculino, fazendo brincadeiras com a gravata (que, a essa altura da balada, já não está mais no lugar). Hilário o personagem que chega em casa já com o pão debaixo do braço, como se pedisse desculpas pela noitada fora de casa. Momentos de delicadeza ficaram para as rosas bordadas sobre t-shirt. Já a diversão está nas misturas de pijamas e alfaiataria. Para as mulheres, milhares de vestidos. A primeira dama Lu Alckmin, que esteve na platéia ao lado de Milu Vilela, aprovou a coleção. "Está muito feminina", elogiou. No gargarejo de Ronaldo Fraga estava também a atriz Vera Holtz e a comediante Gorette Milagres, acompanhada da filha.Veja a galeria de fotos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.