Romantismo e estilo urbano ocupam a passarela

Com uma coleção inspirada no romantismo, repleta de transparências e luxo, a grife Maria Fernanda Lucena abriu ontem o terceiro dia de desfiles da moda outono-inverno do Fashion Rio, que será realizada até amanhã no Museu de Arte Moderna (MAM). Em seguida, a Coven, que transformou a passarela num ateliê de pintura, veio com roupas largas, apostando no estilo urbano. Hoje, os holofotes se voltam para Gisele Bündchen, que será a atração da Colcci. A estilista Maria Fernanda Lucena abriu as passarelas às 16h30 com vestidos esvoaçantes e transparentes, repletos de babados. Mangas bufantes e batas em tons pastéis, mostrando o romantismo da coleção, que também prestou homenagem a Zuzu Angel. Discretas, as estampas que iam do grafismo ao xadrez apareceram em quase todas as peças, feitas em seda, linho, veludo e cambraia. As echarpes também estarão em alta, se depender da estilista, que estreou este ano com desfile próprio. Na última edição do Fashion Rio, ela dividiu a passarela com outras grifes estreantes. A mineira Coven trouxe para a passarela roupas despojadas e confortáveis. Capuzes e lenços nas cabeças foram alguns dos destaques do desfile de Liliane Rebehy, que apostou no marrom e no verde oliva, as cores da próxima estação. O visual urbano veio representado em camisetas, adereços de metal, como cintos e correntes no pescoço, além de bolsos enormes e largos. As modelos brasileiras Ana Cláudia Michels e Mariana Weickert se destacaram ontem. Com o tema Rio, Jardim Urbano, Grafite da Natureza, a Permanente, de Andrea Saletto, trouxe roupas casuais e sofisticadas. Trench- coats (casacos para chuva) vinham sobrepostos a vestidos de alcinha. Casacões de lã e tailleurs pretos e cinzas, com detalhes em brilho, também dão o toque da estação, na visão da estilista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.