'Rogue, o Assassino' é um thriller cheio de pancadaria

Jason Statham faz agente do FBI obcecado para vingar a morte do ex-parceiro, vítima de um assassino asiático

Luiz Carlos Merten, do Estadão,

07 de setembro de 2020 | 18h34

Ambos, Jet Li e Jason Statham dividem a cena em Rogue, o Assassino. É o longa de estréia de Philip G. Atwell, diretor de clipes e documentários musicais que estréia na ficção na base da pancadaria. O título com que o filme está sendo lançado no Brasil é o mesmo que ostenta em vários países e regiões do mundo mas a distribuidora Paris registra um título original muito interessante - "War" ("Guerra"). Falta uma exclamação -  everia ser "War!".  Trailer de Rogue, o Assassino Jason Statham faz agente do FBI obcecado para vingar a morte do ex-parceiro, vítima de um assassino asiático, Rogue (Jet Li). Após três anos de afastamento, Rogue ressurge no meio de uma guerra entre diferentes facções do crime organizado - a Tríade e a Yakuza. Mesmo jurados de morte, os dois homens aprendem a se conhecer e a se respeitar. Unem-se contra os inimigos comuns. Mesmo que não seja creditado a Luc Besson, "Rogue" possui características associadas aos filmes de ação que ele vem produzindo. Os críticos detestam Besson, mas ele vem fazendo um trabalho curioso de integração da cultura árabe na França. Os heróis não são mais os clássicos wasps (brancos, anglo-saxões e protestantes) de Hollywood , mas árabes e orientais. Rogue é assassino, mas é vilão? A revelação final ilumina os personagens de Jet Li e Statham. Philip G. Atwell não nega sua origem no videoclipe. Ele acredita em cortes rápidos, ângulos inusitados e reza na cartilha que diz que o público, no cinema, quer movimento. "Adrenalina", com Jason Statham, é um dos melhores filmes de ação do ano, além de ser uma metáfora do próprio gênero a que pertence. Se o conceito do filme de ação baseia-se no movimento, "Adrenalina" radicaliza ao mostrar um herói que não pode parar, sob pena de morrer. Jet Li é um ás das artes marciais que pode ser bom ator, quando o papel exige ("Cão de Briga"). Statham, o homem mais saudável do mundo, é olímpico na arte de bater. "Rogue, o Assassino" baseia-se na aceitação das diferenças. E dê-lhe pancadaria.   Rogue, o Assassino ("War", EUA, 2007, 103min) - Suspense. Dir. Philip G. Atwell. 16 anos. Cotação: Bom

Tudo o que sabemos sobre:
'Rogue, o Assassino'

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.