Rodrigo Pitta lança livro-CD

O jovem paulistano Rodrigo Pitta ganhou notoriedade como diretor e dramaturgo à frente de musicais como Pocket Broadway, (1996/98), o bem-sucedido Cazas de Cazuza (2000) e Modernidade (este ano). Agora, decidiu expor sua veia poética, que há tempos desenvolveparalelamente aos trabalhos no teatro. Essa sua faceta poucoconhecida está impressa no livro-CD Água, Gasolina e a VirgemMaria, que será lançado nesta terça-feira, pela editora DCL,na Livraria Cultura.A obra compila 28 textos, entre poesias, prosas e letrasde música. A maior parte deles escrito por Pitta na sede da suaCia. Brasileira de Teatro Musical, localizada num tranqüilosítio em Jundiaí, a 60 quilômetros de São Paulo. No CD, seisfaixas tiradas do próprio livro: três poemas declamados poratores da companhia de teatro e três músicas interpretadas porPitta. Para ele, o projeto pontua uma nova fase de sua carreira."Espero que as pessoas conheçam uma faceta do meu trabalho quenão inventei agora, que já existe há anos", diz. "Mesmo porqueé difícil você dirigir um musical sem conhecer música."São textos impregnados de divagações, amores e angústiasurbanas. O que não é propriamente uma surpresa, pois estamosdiante de um autor, filho de baianos, que cresceu entre osarranha-céus de São Paulo, morou nos Estados Unidos, viaja comfreqüência para o Rio e conhece as principais capitais européias, como Londres e Paris.A religiosidade é outro ingrediente marcante, quepermeia, de certa forma, grande parte dos poemas e das canções.O título do livro é só um aperitivo para o conteúdo em si, tendona figura da Virgem Maria o ponto de partida. "Sousuper-religioso, supercatólico, mas existe a imagem da VirgemMaria iconográfica. Ela é um grande ícone pop, que tem todas asformas, muitas identidades. Muita gente reza Ave Mariadiariamente."No ano passado, Rodrigo Pitta fez uma viagem com arepórter Glória Maria, por conta de uma reportagem sobre o Circode Moscou para o Fantástico. Na volta para o Brasil, elesfizeram uma parada em Paris. "Quando chegamos lá, soubemos deuma recente aparição da Virgem Maria e fizemos uma peregrinaçãopor todas as igrejas", conta o autor.O escritor encontra espaço ainda para desferir críticasde toda natureza, como ao poderio televisivo e à escravidão aosíndices de audiência. "(...) Nós somos filhos da Xuxa/ filhosde Bob Marley/da mãe televisão/filhos de uma única palavra quenão tem rima,/somos filhos de qualquer pai ou qualquer mãe./ Equem canta o que toca pelas rádios/e não curte o bom do som, obom do som?/Quem não checa o Ibope hoje é otário./Quem temmotivos para andar na contramão? (...)", diz ele em um trechodo poema Geração Z."É uma crítica sim a essa prisão, eu sofri isso. Todomundo tem de ficar de olho na audiência, você fica assim,involuntariamente, inconscientemente. Se dá importância àquantidade de popularidade", analisa.Água, Gasolina e a Virgem Maria tem prefácio escritopor Gilberto Gil, um dos grandes ídolos do autor. Segundo Pitta,Gil há tempos acompanha seu trabalho. Ele enviou para o músicobaiano os poemas que iriam integrar o livro. Gil os leu econcordou em fazer um texto de apresentação. "Achei que paraesse meu primeiro livro seria um prazer ter meu ídolo escrevendoalguma coisa." O livro-CD conta com outro reforço, o da artistaplástica Sandra Cinto na produção visual. Ela elaborouilustrações a partir de fotografias, design gráfico eexperimentações. O resultado são criações que dialogam com cadapoema, com cada letra de música.Sandra deverá assinar o cenário do show homônimo, quetem estréia prevista para o dia 11, na Fnac, em Pinheiros, zonaoeste de São Paulo. No repertório, as músicas do projeto,interpretadas por Pitta. Durante o espetáculo, ele planejaintervenções de DJs, poesias lounges, entre outrasparticipações. No ano que vem, ele pretende continuar "nutrindo "a nova carreira com mais shows e com o lançamento de um disco."O CD do livro é um single de um álbum que vou lançar e queterá 12 faixas." Nele, Pitta deve incluir uma canção inédita deCazuza.Projetos - Apesar da paixão pela música e pela poesia,Rodrigo Pitta diz que não vai abandonar o trabalho como diretore dramaturgo. Para o próximo ano, ele planeja estrear um novomusical. "Já estou escrevendo o musical, que se passa na épocada ditadura, entre 1967 e 1970, do tropicalismo. É algo em cimadessa fase", adianta. Rodrigo Pitta não vai preterir um projetopara fazer outro. Quer desenvolver várias idéias ao mesmo tempo.Quer ser o cara que escreve, que dirige, que canta. Seu sonho depoeta e compositor não deve ficar só nesse Água, Gasolina e aVirgem Maria. "Tomara que eu consiga fazer outros iguais aesse livro."Água, Gasolina e a Virgem Maria. Livro-CD de Rodrigo Pitta.Editora Difusão Cultural do Livro - DCL. Amanhã, às 18h30. Livraria Cultura/Conjunto Nacional. Avenida Paulista, 2.073, tel. (11) 3170-4033.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.