Rodchenko Infantil

Pioneiro nas revoluções estéticas, ele brinca com as sombras das imagens em Imitabichos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2011 | 00h00

O pintor, escultor, designer e fotógrafo russo Aleksandr Rodchenko (1891-1956) sempre foi um homem inquieto. Pioneiro do construtivismo russo, ele não apenas retratava a realidade, mas a interpretava. Assim, quando foi convidado pelo poeta Serguéi Tretiakóv (1892-1939) para ilustrar um inovador livro de poemas para crianças, Rodchenko não apenas abraçou o projeto como subverteu as regras da fotografia para lhe dar movimento.

O resultado é o belo Imitabichos (tradução Rubens Figueiredo, 48 páginas, R$ 49), que a Cosac Naify lança na quinta-feira. Trata-se de um conjunto de nove poemas de Tretiakóv que incentivam a criança a se transformar em determinados bichos usando apenas objetos que estejam à mão - como rastejar com uma bacia nas costas, imitando uma tartaruga.

Publicados em 1926, os versos saíram inicialmente em uma revista e foram ilustrados por desenhos realistas. Atraído pelas técnicas modernas da fotografia, Tretiakóv pediu então a Rodchenko que criasse imagens "construtivistas", ou seja, com formas geométricas, para uma nova edição. Sempre disposto a experimentar novas técnicas, o fotógrafo aproveitou para utilizar a luz artificial e criar a sensação de movimento.

Para isso, contou com a preciosa colaboração da mulher, Varvara Stiepánova, que, ao observar os desenhos feitos pelo marido, cortou os contornos e os levantou, deixando a impressão de que eram tridimensionais. Empolgado, Rodchenko iluminou os objetos e, à medida que trocava a lâmpada de lugar, as sombras se mexiam, criando a ilusão de movimento.

Denominadas pelo casal de "fotos de animação", as imagens integrariam o livro Imitabichos, que acabou não publicado na época, o que só aconteceu em 1980, graças a uma editora alemã. Sobre o trabalho pioneiro do avô, Alexander Lavrentiev conversou por e-mail com o Estado.

Como foi conviver com seu avô?

Eu estava com 2 anos quando ele morreu. Mas, segundo minha mãe, ele era muito brincalhão (fazia mágicas para as visitas) e adora inovações técnicas: chegou a montar sozinho um rádio.

Como foi a sobrevivência dele durante o stalinismo?

Nos anos 1930, Rodchenko fotografava e fazia livros de design. Os objetos tinham importância política: a obra Primeira Cavalaria apresentava uma história visual da revolução. Junto com a mulher, Varvara, ele usou sua habilidade de composição e também os contatos com os principais fotógrafos da época para criar mensagens poderosas. Sua versatilidade o salvou. Ele sempre gostou de mudar os campos de atividade: cinema, teatro, tipografia, exposições fotográficas etc. O pior momento aconteceu no fim da década de 30, quando diversos amigos como Drevin, Klutsis, Tretiakóv, foram presos. Muitos acreditaram que ele seria o próximo pois, entre 1928 e 31, Rodchenko sofreu pesadas críticas dos formalistas contra sua fotografia experimental, marcada por ângulos altos e baixos.

E o contato de Rodchenko com a Avant Garde europeia e russa?

Ele conhecia bem a arte francesa do século 19, pois estudou na escola de arte de Kazan, entre 1912 e 14. Também conhecia o Futurismo, tendo participado dos debates com Maiakovski, Burluik e Kamensky, que viajavam em tour. Rodchenko integrou ainda as principais mostras da Avant Garde russa: The SHOP, 5x5=25. Durante quase um ano, ele e Varvara moraram no apartamento de Kandinski. Ele era respeitado devido a suas inovações.

É verdade que ele conheceu Picasso? Como foi?

Quando foi a Paris em 1925 para ficar durante alguns meses, Rodchenko projetou o pavilhão soviético da Exposição Internacional de Artes Decorativas e Aplicadas. No evento, artistas russos emigrados organizaram um baile chamado Le Grand Urs em favor dos artistas que vieram de Moscou. Lá, Rodchenko foi apresentado a Picasso, mas eles não conversaram, pois um não conhecia o idioma do outro. Picasso presenteou Rodchenko com uma gravura, que acabou se perdendo. Em Paris, Rodchenko teve mais contatos com arquitetos e designers que o ajudaram com a exposição.

O que você pode dizer sobre Imitabichos? Como esse livro se encaixa na carreira de seu avô?

Imitabichos foi o primeiro livro para crianças criado pelo construtivista Rodchenko. Sua filha, que também se chamava Varvara, estava crescendo e, mais tarde, passou a brincar com esses bonecos de papelão. A série de ilustrações deveria ser convertida em um livro como um jogo, o que só aconteceu anos depois. Rodchenko considerava essa série de fotografias como uma de suas principais realizações, pois não tinham protótipos ou variantes semelhantes nas obras de outros artistas ou fotógrafos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.