'Robin Hood', com Russell Crowe, estreia nos cinemas

Coloque de lado a imagem do herói que rouba dos ricos para dar aos pobres, saltando das árvores para apanhar sacos de moedas. Em "Robin Hood", filme que estreia mundialmente hoje, depois de abrir o festival de Cannes 2010. A produção, dirigida por Ridley Scott, se aprofunda no contexto histórico e político para justificar o nascimento do célebre ladrão da floresta de Sherwood.

AE, Agência Estado

14 de maio de 2010 | 09h04

Em sua quinta parceria com o diretor, Russell Crowe, que protagonizou anteriormente "Gladiador", "O Bom Ano", "Gângster Americano" e "Rede de Mentiras", assume o papel de Robin Hood, ou melhor, Robin Longstride, arqueiro do rei Ricardo Coração de Leão, da Inglaterra. A trama se passa no final do século 12, período em que o governo inglês estava em decadência e uma invasão francesa assombrava a soberania do país.

O longa começa com a tropa de Ricardo se preparando para voltar das Cruzadas. Num dos últimos combates antes de partir para casa, o monarca é atingido por uma flecha e morre. Sem comandante ou expectativa de serem pagos pelo seu trabalho, Robin e um trio de amigos abandonam o exército em busca de outras oportunidades. No caminho, encontram cavaleiros ingleses prestes a morrer. O grupo, que estava levando a coroa do rei para a corte, sofreu uma emboscada. Assim, além de garantir uma boa quantidade de ouro, o arqueiro resolve se passar por um dos cavaleiros reais e voltar ao seu país com o nobre objetivo de entregar a coroa à rainha Eleonor de Aquitânia (Eileen Atkins).

A aventura leva Robin à Nottingham, que, assim como as outras cidades inglesas, sofre com o excesso de impostos, pobreza e saques. Na região, ele segue para a propriedade de Sir Walter Loxley (Max von Sydow). Para defender suas terras, Loxley pede que Robin fique em sua casa e tome o lugar de seu filho, um dos cavaleiros mortos durante a missão de entregar a coroa do rei. O lugar de substituo garante a Robin contato com a viúva Lady Marion, papel da atriz Cate Blanchett. A força e a coragem de Marion conquistam o coração de Robin. Por lá, também descobre sua própria história e, com a ajuda de Loxley, relembra a morte prematura de seu pai. A descoberta da trágica história de sua família faz surgir os primeiros lampejos do que viria a ser o mito.

Além da boa contextualização histórica, a produção conta com ótimas cenas de ação e de luta. E pode vir mais por aí. O filme termina no momento em que Robin se torna fora da lei e começa a formar seu grupo na floresta. Fica a dúvida se esse será apenas um longa ou o início de uma trilogia. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaRobin HoodRussell Crowe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.