Roberto Cavalli nega que 'lobby gay' controle cenário da moda

'Acho que a orientação sexual não tem nada a ver, nem pode influir no trabalho dos estilistas', disse o italiano

Efe,

17 de junho de 2008 | 14h11

O estilista italiano Roberto Cavalli negou nesta terça-feira, 17, que o "lobby gay" controle o cenário da moda internacional, em declarações à imprensa em Sarajevo. "Não sei, eu não acho isso. Acho que a orientação sexual não tem nada a ver com isso, em absoluto, nem pode influir no trabalho dos estilistas", disse Cavalli. O estilista está na capital bósnia para assistir a uma apresentação de seu amigo, o cantor britânico James Blunt. "As coisas são muito simples. Gosto das mulheres e sinto que é o que elas gostam, o que ficaria bem em cada uma", disse. Cavalli disse que detesta a vulgaridade, cada vez mais presente no trabalho de seus colegas. "Reprovam em mim que ressalto demais a sexualidade, mas isso não é verdade. Minhas criações são cores, o glamour (...). A linha entre a sexualidade e a vulgaridade é muito tênue, e é preciso saber como não passar", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Roberto Cavalli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.