Roberto Carlos participará de homenagem à bossa nova

Em homenagem à bossa nova, o Banco Itaú anunciou hoje uma série de eventos para reverenciar o cinqüentenário do gênero, em uma plataforma cultural chamada Itaúbrasil. Na programação, uma grande exposição, Roberto Carlos, Caetano Veloso e João Gilberto. E ainda Adriana Calcanhotto, Bebel Gilberto, Marcelo D2, Fernanda Takai, Marcelo Camelo e Roberta Sá também homenageiam a batida voz e violão. A largada se dá com uma arrojada exposição que tomará o espaço da OCA, no Parque do Ibirapuera, por dois meses do dia 7 de julho a 7 de setembro. Com direção de Marcello Dantas e Carlos Nader, a mostra fará um panorama da bossa nova, pelos quatro andares do prédio. No térreo, o visitante irá conhecer o contexto da época, o que precedeu o movimento disseminado por Nara Leão, Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli, Tom Jobim e Vinicius de Moraes, entre outros."Queremos mostrar que ambiente nutria as cabeças daquela turma", afirmou a produtora Monique Gardenberg, da empresa Dueto, que assina a produção do evento. Além da linha cronológica, estarão expostas obras de arte do acervo do Itaú que dialogam com a época, além de seis jukeboxes com capas e o repertório dos principais discos.ShowsMas para além do aprendizado e da sensação de estar nas efervescentes décadas de 50 e 60, o Itaúbrasil traz shows inéditos que devem ser muito disputados. Certamente os dois principais são de João Gilberto e o encontro no palco de Caetano Veloso e Roberto Carlos. O primeiro, responsável pela sonoridade em ''Chega de Saudade'', no antológico disco ''Canção do Amor Demais'' (1958), já tinha sido anunciado há um mês. As quatro apresentações de João Gilberto estão agendadas para os dias 14 e 15 de agosto em São Paulo (Auditório Ibirapuera) e para o dia 24 no Rio (Teatro Municipal). Em 5 de setembro ele encerra a série em Salvador (Teatro Castro Alves). A grande novidade mesmo será o encontro de Roberto Carlos e Caetano Veloso para cantar o repertório do "maestro soberano" Tom Jobim com uma orquestra de 30 músicos, sob a batuta de Jacques Morelenbaum. Em São Paulo, o show acontece também no Auditório Ibirapuera, nos dias 25 e 26 de agosto. A estréia do dueto, porém, ocorre no Rio, dia 15 do mesmo mês, no Municipal. O anúncio foi surpreendente, já que Roberto Carlos nunca foi fã da bossa nova - e chegou inclusive a torcer o nariz para a batida voz e violão. Segundo Monique, foi uma proposta arriscada, que a própria equipe desacreditava um pouco. Mas a explicação para o Rei aceitar vem de Zuza Homem de Mello: "O Roberto participou de um dos primeiros shows da bossa nova, produzido por Ronaldo Bôscoli. E ele cantava repertório de bossa nova quando atuava como crooner na boate do Hotel Plaza. Então, a raiz dele tem um vínculo com a bossa nova".João DonatoPara completar a tríade musical, haverá um show nos dias 8 e 9 de julho no Auditório Ibirapuera - sendo o segundo gratuito, na área externa. No palco, nomes da nova geração, como Adriana Calcanhotto, Bebel Gilberto, Marcelo D2, Fernanda Takai, Marcelo Camelo e Roberta Sá, acompanhados da Orquestra Ouro Negro. Todos unidos para lembrar a obra de João Donato, um dos principais nomes que manteve a chama da bossa nova acesa pelo mundo e que soube reinventá-la, com utilização de novos recursos. A apresentação se repete no Rio, dia 11, no Municipal. Dos três shows, apenas o que homenageia João Donato terá apresentação aberta ao público na capital paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.