Roa Bastos é abandonado e roubado por assistente

Um dos maiores expoentes da literatura paraguaia, Augusto Roa Bastos, de 88 anos, autor de Eu. O Supremo, foi abandonado e roubado em mais de US$ 26 mil por sua ex-assistente, segundo uma denúncia apresentada na Justiça e divulgadfa pela imprensa do país.A denúncia foi feita contra Cesarina Cabañas, mais conhecida como Karina Cabañas, a quem a filha do escritor, Mirta Roa Mascheroni, acusa de "furto agravado por lesão grave, abandono e exposição de pessoa a perigo de vida e integridade física", segundo publica hoje o jornal Ultima Hora.A filha de Bastos residente na Venezuela, fez a denúncia em dezembro do ano passado, quando foi visitar o pai nas festas de fim de ano, mas só agora o caso tornou-se público. Segundo Mirta, seu pai foi hospitalizado em setembro de 2004 com um problema cardíaco, porque sua vizinha Aurora Mena, telefonou para o sobrinho do escritor Antonio Escalada Roa para informar sobre o estado de saúde do tio e dizer que a assistente que deveria cuidar dele não se encontrava em casa. Segundo o jornal paraguaio, Roa Bastos, que ganhou o Prêmio Cervantes de Literatura de 1989, foi encontrado pelo sobrinho em seu apartamento "em estado calamitoso e total abandono" e pediu à polícia que recupere os US$ 26,9 que o escritor guardava em uma maleta. Acrescenta que a maleta continha US$ 45 mil que o escritor ganhou por direitos autorais e conferências realizadas em Buenos Aires.Segundo a denúncia, Karina Cabañas, dopava o escritor para que pudesse deixar a casa e construir outra, com o dinheiro do patrão. O juiz Oscar Delgado expediu um pedido de prisão contra ela.

Agencia Estado,

23 de março de 2005 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.