Rio teve um fórum quente

A julgar pelo Anima Forum, o Anima Mundi serve também para discutir os rumos da animação no Brasil e, claro, no mundo. Ciclo de discussões que ocorreu no Rio durante a edição carioca do festival, o Anima Forum reuniu profissionais de todo o País, da Europa e dos EUA para pensar juntos o que de fato significa a "indústria de animação brasileira". "Estamos indo bem, mas ainda há muito o que fazer antes de afirmar que temos uma indústria. Precisamos formar talentos, principalmente no que diz respeito às áreas mais técnicas da animação, precisamos manter o ritmo de produção para que o mercado se consolide e, claro, conquistar público", analisou Cesar Coelho.

Flavia Guerra, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2010 | 00h00

Se a consolidação é um processo, os sinais já podem ser percebido em novas coproduções e programas de incentivo ao formato, como o Anima TV. Criado para fomentar a produção, o programa contribuiu para melhorar o diálogo entre produtores brasileiros e internacionais. Na linha de coproduções, destaque para as séries Peixonauta e AmigãoZão. Esta última, em parceria com o Canadá, estreia no Discovery Kids no dia 9 e envolveu o trabalho de dezenas de profissionais. Criada por Andrés Lieban e Claudia Koiogan Breitman, da 2D , AmigãoZão tem estreia garantida em vários países. "Ainda que coprodução, a série mantém o caráter brasileiro. Os canadenses até pediram, mas não há episódios com neve", contou Lieban.

Coproduzir sem perder a brasilidade é também preocupação de Ale McHaddo. "Antes, recebíamos propostas em que o Brasil entrava com a mão de obra e os estrangeiros, com o roteiro. A animação é autoral e decisiva em um projeto, mas nós sabemos contar histórias", comentou o diretor da 44 Toons, que realizou o primeiro curta nacional em 3D, BugiGangue - Controle Terremoto, O 3D também foi tema de discussão. "Decidimos fazer o BugiGangue em 3D porque tem a ver com o projeto. A arte de contar história e unir a uma boa técnica é algo em que precisamos investir."

A REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DA ORGANIZAÇÃO DO FESTIVAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.