Rio Claro-SP recebe festival de rock feminino em março

Um festival exclusivo para as roqueiras, onde menino não entra. Ou quase isso. O Festival de Rock Feminino de Rio Claro, o maior e provavelmente o único do gênero do País, promete abrir em breve as inscrições para a edição de 2011, a nona desde 2003. A ideia é privilegiar os grupos formados por garotas, ou que tenham meninas como integrantes de destaque.

AE, Agência Estado

04 de janeiro de 2011 | 10h33

Realizado sempre em março, quando também é celebrado o Dia Internacional da Mulher (dia 8), o festival integra uma extensa programação cultural na cidade, que inclui exposições, peças de teatro, palestras e mostra de cinema. Com capacidade para receber de 2 mil a 3 mil pessoas, o evento ocorre em seu palco principal, na Estação Ferroviária de Rio Claro. No ano passado, houve também shows no Centro Cultural Roberto Palmari e Praça da Matriz da vizinha cidade de Cordeirópolis.

Uma das organizadoras da área musical é Vivian Guilherme, vocalista da banda Istha. Na base da dedicação e do voluntarismo, ela e um grupo de colaboradores colocaram o festival no calendário nacional de eventos musicais.

O reconhecimento veio em 2010, quando a Câmara de Vereadores instituiu por lei o dia 9 de março como o Dia Municipal do Rock Feminino, destacando essencialmente o caráter social do festival - a entrada para os shows é um litro de leite, que é doado ao Fundo Social de Solidariedade e Rede do Câncer.

Além das atrações principais, existe uma competição entre os grupos, que são julgados por personalidades convidadas, como, por exemplo, Fernanda Takai (Pato Fu) e Luiz Thunderbird (músico do Devotos de Nossa Senhora Aparecida e ex-VJ da MTV), por exemplo. Em 2010, a principal atração foi o Shadowside. Dois anos antes, o nome de mais destaque foi o Ravenland.

"O retorno tem sido ótimo, o evento está ficando conhecido internacionalmente. Em 2010 recebemos muitos argentinos e europeus. Tivemos 440 bandas do Brasil e da América Latina, das quais 15 foram selecionadas. Queremos bater esse recorde em 2011", afirma Vivian. Na última edição, tocaram artistas de várias cidades paulistas, de Recife, Porto Alegre, Fortaleza e Belo Horizonte. A meta para os próximos anos é aumentar a participação de estrangeiros. A segunda fase de inscrições para o festival deve começar em breve. As informações e a ficha de inscrição serão publicadas no site www.rockfeminino.org. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicafestivalrock feminino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.