Rimbaud em primeira pessoa no teatro

A chamada Sala Escada do TeatroBrasileiro de Comédia (TBC) é um espaço propício à experimentação. Naverdade, trata-se do aproveitamento cênico de um vão de escada,um espaço reduzidíssimo, porém sempre bem-vindo numa cidade ondesalas teatrais são extremamente disputadas. Ali o ator ArielBorghi ambienta o seu intimista Rimbaud, espetáculo queflagra o poeta Arthur Rimbaud (Ariel) em seus últimos dias devida, acompanhado ao leito por sua irmã Isabelle (PaulaTonalli). Ariel assina também a direção do espetáculo, mas fazquestão de ressaltar que criou a partir de concepção original deElias Andreato. "É dele o roteiro e o cenário; estou retomandoa montagem que ele dirigiu em 1993. Estou mais maduro e issomuda não só a interpretação, mas também a concepção doespetáculo." O texto foi inteiramente criado a partir dedocumentos sobre o poeta, desde suas poesias até as cartasdirigidas a Paul Verlaine e à irmã. "Tudo está dito em primeirapessoa. Todas as palavras ditas em cena são de Rimbaud." A explosiva relação entre Rimbaud e Verlaine toma 20minutos e é enfocada a partir do momento da chegada de Rimbaud aParis. "Importante neste espetáculo é a percepção de que elefoi o precursor de uma atitude rebelde, a mesma dos hippies eroqueiros", comenta Ariel. "Ele foi o primeiro a dizer quetudo era uma caretice, ainda que com outras palavras. Foi oprimeiro a querer reinventar a vida", acredita o ator. Rimbaud e Verlaine, considerados dois dos maiores poetasdo século 19, chocaram a sociedade francesa da época ao assumirsua relação amorosa. Quando Rimbaud foi morar em Paris, na casade Verlaine, este era casado com Mathilde que estava grávida deseu primeiro filho. Ariel musicou poemas de Rimbaud que integram a trilhasonora, quase toda em ritmo de rock e blues. "É uma trilhamuito bonita, em harmonia com a suavidade e a profundidade desua poética. E é também por meio da música que fazemos umparalelo entre as suas idéias e a rebeldia contemporânea." Oroteiro flagra os três últimos dias de vida e Rimbaud, delirantena maca de um hospital. Tal ponto de partida permite mostrarfragmentos de diferentes momentos de sua vida. "Ele discute,por exemplo, com sua mãe autoritária, Vitalie." Essa discussão,segundo Ariel, também está fundamentada nas cartas trocadasentre ambos.Serviço - Rimbaud. De Elias Andreato. Direção Ariel Borghi. Duração: 70minutos. De quinta a sábado, às 19h30. R$ 10,00. TBC. Rua MajorDiogo, 315, tel. (11) 3115-4622. Até 31/8.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.