AP
AP

Richard Hamilton, 'pai da pop art', morre aos 89 anos

REUTERS

13 de setembro de 2011 | 16h08

LONDRES (Reuters) - O artista britânico Richard Hamilton, considerado por muitos o pai da pop art, morreu nesta terça-feira, aos 89 anos.

 

"Este é um dia muito triste para todos nós e nossos pensamentos estão com a família de Richard, em especial com a sua mulher, Rita, e seu filho Rod", disse o dono de galeria e marchand Larry Gagosian.

 

Um comunicado da galeria referiu-se a Hamilton como o "pai da pop art" e "artista pioneiro com habilidade sem paralelo, com criatividade e autoridade duradoura."

 

"A influência dele sobre as gerações subsequentes de artistas continua imensurável."

 

Nicholas Serota, diretor da Tate Gallery, de Londres, acrescentou: "Muito admirado por seus pares, incluindo (Andy) Warhol e (Joseph) Beuys, Hamilton produziu uma série de pinturas, desenhos, serigrafias e colagens únicas, tratando de temas como glamour, consumo, produtos e cultura popular."

 

Apesar da idade, Hamilton trabalhou até há poucos dias em uma grande retrospectiva de seu trabalho para ser levada a Los Angeles, Filadélfia, Londres e Madri em 2013/2014.

 

Gagosian não disse como nem quando Hamilton morreu. Ele estava na Grã-Bretanha.

 

 

A obra mais conhecida de Hamilton é a colagem de 1956 intitulada "O que Exatamente Torna os Lares de Hoje Tão Diferentes e Tão Atraentes?", considerada por alguns historiadores o marco do nascimento do movimento da arte pop.

 

Também se atribui a Hamilton ter cunhado o termo "pop art", em uma nota a alguns arquitetos que analisavam a possibilidade de organizar a exposição "This is Tomorrow" (Este é o Amanhã), de 1956.

 

Em um texto de 1957, cujas palavras são consideradas proféticas das preferências de Warhol e, mais recentemente, de Damien Hirst, ele escreveu:

 

"A pop art é popular (desenhada para as massas), transitória (solução de curto prazo), descartável (esquecida facilmente), de baixo custo, produzida em massa, jovem (destinada à juventude), espirituosa, sexy, chamativa, glamorosa, e um grande negócio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.