Ribeirão Preto-SP abre hoje Feira Nacional do Livro

A oitava edição da Feira Nacional do Livro, de Ribeirão Preto, que usa o slogan ''Encontre as Palavras'', uma das maiores do mundo a céu aberto, terá palestras de escritores brasileiros renomados, exibições de filmes e ainda vários shows musicais entre hoje e o dia 15, no centro da cidade. A Fundação Feira do Livro, organizadora do evento, está investindo R$ 1,4 milhão, mas não faz mais previsão de público nem de vendas de livros. "Isso é complicado e não vamos fazer qualquer perspectiva, mas medir a participação das pessoas em cada evento cultural, ou seja, nos shows, nas palestras, nos salões de idéias e nos cafés filosóficos", diz a presidente da Fundação, Isabel de Farias.Nos 92 estandes da feira, 42 livreiros ou instituições estarão oferecendo as suas novidades aos visitantes. Os estandes ficarão novamente espalhados nas Praças XV e Carlos Gomes. A atração do primeiro dia, no Salão de Idéias, será a escritora Adélia Prado, além do show de Luiz Melodia, no Palco da Esplanada, montado ao lado do Theatro Pedro II, possibilitando a presença de um grande público, que nada pagará pelo espetáculo. Amanhã, Milton Nascimento se apresenta. O único show no Pedro II será o de Rolando Boldrin, no dia 12, mas, como a capacidade está limitada a cerca de 1.800 pessoas, um telão será instalado na frente do teatro para que mais pessoas acompanhem. "Neste ano também teremos dez shows com artistas locais, antecipando as principais atrações", explica Isabel.Marçal Aquino, Nélida Piñon, Moacyr Scliar, Deonísio da Silva, Pedro Bandeira, Zuenir Ventura, Marina Colasanti, Nádia Gotlib, José Hamilton Ribeiro, Júlio José Chiavenato, José Mojica (o Zé do Caixão), Luiz Puntel, Lucília Junqueira de Almeida, Carlos Nejar e Caco Barcelos, entre outros escritores e jornalistas, participarão de bate-papos com o público. Outros shows da Feira do Livro são: Demônios da Garoa (dia 8), Arnaldo Antunes (dia 11), Guilherme Arantes (dia 13) e Renato Teixeira (dia 14).Os homenageados da feira são os escritores Machado de Assis e Cecília Meirelles, além do Japão, que está completando neste ano 100 anos de imigração no País. O patrono da feira é Saulo Ramos, jurista e ex-ministro da Justiça, que também é escritor e autor do hino de Ribeirão Preto, onde mora. Além das palestras e bate-papos, o evento terá outras atrações paralelas, sessões de autógrafos e lançamentos de livros, tanto de escritores locais e regionais quanto de renomados. Um deles é ''História de Amar o Brasil - 50 Anos de Carreira Artística'', de Rolando Boldrin. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.