Ribeirão Preto destaca a arte da Rússia

Durante dez dias, Ribeirão Preto será um centro cultural, com dois eventos paralelos: teatro e cinema. A cidade quer recuperar o status de Capital da Cultura, que tinha nas primeiras décadas do século 20, época dos barões da café, quando recebia os grandes espetáculos internacionais de teatro. Hoje à noite será aberto o 1.º Festival Chekhov de Teatro, que termina no dia 28, com a primeira encenação no Brasil do grupo russo Volkov, de Yaroslav, o mais tradicional e antigo do mundo, fundado em 1750. O evento também celebra, neste ano, o centenário da morte de Anton Pavlovitch Chekhov. Amanhã, será aberto o 2.º Festival de Cinema de Ribeirão Preto (termina no dia 25), com exibições de filmes inéditos na cidade. A disputa de curta-metragem dará prêmio em dinheiro. "Ribeirão Preto poderá atrair turistas do Brasil inteiro e do exterior, ocupando boa parte dos hotéis", diz o produtor-executivo do Núcleo de Cinema do município e do Festival de Cinema, Edgard de Castro. Ele sonha transformar Ribeirão Preto numa nova Gramado, com o festival, mas também criar uma nova Hollywood, com o Núcleo de Cinema fomentando e incentivando produções de filmes na região. Para isso, já criou o Film Commission, um centro de informações sobre locações naturais, urbanas e históricas de 116 cidades da região, que estão disponíveis para consulta na internet (www.ribeiraofilmcommission.com.br). O Festival Chekhov de Teatro terá apresentações de oito comédias curtas do dramaturgo russo, encenadas por grupos de Ribeirão Preto (cinco peças), São Paulo (duas) e Campinas (uma).O Volkov fará o encerramento do festival, no dia 27, às 20 horas, no Theatro Pedro II (ingressos entre R$ 10 e R$ 30), encenando em russo (o público acompanha com um libreto) a peça Três Histórias Ridículas sobre o Amor (montagem de três espetáculos: O Pedido de Casamento, O Urso e Sem Nome, reunindo trechos de textos do autor). A Escola de Balé do Teatro Bolshoi (ingressos entre R$ 20 e R$ 40), de Joinville, abre o evento hoje, às 20 horas, no Pedro II. As comédias curtas serão apresentadas entre amanhã e o dia 26, às 20 horas, no Teatro Municipal. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia). O Festival de Cinema terá exibições de 14 longas (destaques para As Invasões Bárbaras, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro neste ano, Encontros e Desencontros, de Sofia Coppola, vencedora do Oscar de roteiro original, e os brasileiros Narradores de Javé, de Eliane Caffé, e Dois Perdidos numa Noite Suja, de José Joffily) e 18 curtas, numa sala da rede Cinemark, no Novo Shopping. As sessões, diárias, começam às 14h, 16h40, 19h15 e 22h. Os ingressos custam R$ 5,50. Os filmes serão avaliados pelo júri popular. O melhor longa leva um troféu e o melhor curta produzido em 35 mm receberá R$ 5 mil. Paralelamente, das 13h30 às 14h, com entrada franca, numa sala da rede Cinemais, no Shopping Santa Úrsula, ocorrerá a Mostra Competitiva de Vídeo do Interior de São Paulo, com exibições de 20 produções. O melhor no formato também receberá troféu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.