Erik S. Lesser/The New York Times
Erik S. Lesser/The New York Times

Revolucionário arquiteto americano John Portman morre aos 93 anos

Profissional fez história em 1967, com o hotel Hyatt Regency Atlanta, de cujo imponente átrio se podia ver o céu sobre os 22 andares do prédio

AFP

31 Dezembro 2017 | 17h11

O arquiteto americano John Portman, que revolucionou o design de hotéis em todo mundo, morreu aos 93 anos, anunciou seu escritório no sábado, 30. "Empresário, artista e filantropo, Portman mudou o horizonte de cidades de todo mundo", diz a empresa John Portman & Associates, em sua página institucional.

Portman fez história em 1967, com o hotel Hyatt Regency Atlanta, de cujo imponente átrio se podia ver o céu sobre os 22 andares do prédio. Portman rompeu assim o tradicional "ambiente confinado" dos hotéis urbanos, acrescenta o site.

"Como arquiteto e desenvolvedor de muitos de seus projetos imobiliários, Portman estabeleceu uma carreira única entre seus contemporâneos: metade artista, metade empresário arrojado", escreveu o jornal The New York Times em 2011.

Entre as muitas de suas obras nos EUA, estão o Embarcadero Center em San Francisco e o Renaissance Center, em Detroit, um empreendimento desenvolvido nos anos 1970 para revitalizar a cidade.

Na Ásia, Portman projetou a Marina Square, um complexo hoteleiro e espaço de comprar de Cingapura.

China e Índia também acolheram projetos de sua autoria.

A página on-line do escritório de Portman relata que sua filosofia foi influenciada por Ralph Waldo Emerson, líder do movimento transcendentalista no século XIX, e sua arquitetura foi impactada por Frank Lloyd Wright, um dos mais revolucionários nomes da arquitetura do século passado.

Mais conteúdo sobre:
John Portman arquitetura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.